Suposto racismo na capa do diário 'Olé' gera revolta no Twitter

Conhecido por usar trocadilhos em suas manchetes, o diário argentino "Olé" desta quarta-feira trouxe a frase "Mano negra (mão negra, em português)" que pode ter denotado racismo, para destacar a eliminação do Huracán diante do Atlético Nacional, na última terça, pelas oitavas de final da Libertadores.

O jornal diz que a arbitragem do venezuelano José Argote foi "escandalosa" e que ela teria prejudicado diretamente no resultado do confronto, que acabou com vitória por 4 a 2 dos colombianos.

No Twitter, a repercussão da capa do "Olé" foi bastante negativa e, em alguns casos, causou revolta. Confira alguns tuítes sobre a edição do diário desta quarta:

Indignação declarada oficialmente

Logo após o confronto no estádio Atanasio Girardot, o clube argentino usou as redes sociais para tornar público o quanto estava indignado com o juiz Argote.

- Um roubo. Huracán caiu graças a péssima atuação do árbitro venezuelano que favoreceu à equipe local - postou o perfil oficial do clube no Twitter.

As principais reclamações dos argentinos foram devido à marcação de um pênalti bastante duvidoso de Bogado em Guerra, no primeiro tempo, e, na segunda etapa, no lance do gol de Ábila, já que o centroavante parecia um pouco adiantado. Os jogadores do Globo ainda questionaram a expulsão de Mancinelli, que saiu mais cedo após cotovelada fora do lance em Marlos Moreno, também no segundo tempo.

Se durante a partida José Argote, que estava visivelmente nervoso, discutiu bastante com os atletas visitantes, após o apito final, ele teve que ser protegido por um cortão de isolamento dos seguranças.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos