Três anos após 'egoísmo' de Pato, Tite vê comparação a André oportunista

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

As redes sociais de André foram inundadas de críticas após o atacante desperdiçar um pênalti decisivo aos 38 minutos do segundo tempo da partida contra o Nacional (URU), na última quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa Libertadores. Após a eliminação do Corinthians na competição continental, vários torcedores compararam o atual camisa 9 a Alexandre Pato, atacante que defendeu o Corinthians entre janeiro de 2013 e fevereiro de 2014 e ainda tem contrato válido até o fim deste ano. No único ano em que defendeu as cores alvinegras de fato, o jogador de R$ 40 milhões também perdeu um pênalti importante. Apesar destas semelhanças, Tite rejeita as comparações.

"Ninguém em sã consciência pode comparar as batidas de pênalti do que aconteceu com o Pato, que foi totalmente diferente da do André. Olha a batida contra o Audax... Não vamos ser oportunistas. É a forma como ele treina, parecida como o Evair, ele espera até o último momento. Façam uma análise técnica. Quando alguém reclama não podemos generalizar, porque são 35 milhões de torcedores. Tem um monte de pai de família, de gente de bem que fica insatisfeita", desabafou o treinador do Corinthians.

Em 2013, caiu nos pés de Pato a última cobrança de pênalti na decisão de uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil, contra o Grêmio, no Rio Grande do Sul. O camisa 7 do Corinthians deu uma cavadinha sem força, facilmente defendida pelo goleiro Dida. Apesar do acontecimento ter irritado a Fiel em razão da suposta displicência de Alexandre Pato, o treinador disse que qualquer cobrança ficaria "do vestiário para dentro". Uma revelação recente, porém, muda o panorama.

Segundo o livro "Tite", lançado nesta semana pela jornalista Camila Mattoso, o treinador encarou negativamente o pênalti perdido por Alexandre Pato em 2013. "Tite entrou no vestiário desvairado. Andava de um lado para outro inconformado com o que tinha passado naquela noite - o time vivia um momento de crise, o treinador havia pedido demissão duas semanas antes. "Calma, professor, calma. Não é hora de falar nada agora" - tentou intervir o lateral Fábio Santos, um dos mais calmos naquele momento, ao lado de Ralf. "Calma o caralho. É um egoísta..Só pensa nele! Tem de aprender a amadurecer, ter senso de equipe. Não existe isso - gritou Tite", revela a obra. O treinador ainda completou a crítica, à frente de todos os jogadores.

"Danilo, errar é do jogo.Edenilson, é do jogo. É da vida. Faz parte. Pato, olha pra mim: tu não é da vida. O jeito que tu perdeu, não é. Tu tem que aprender a trabalhar em equipe, tu tem que deixar de ser egoísta. Tu tem que amadurecer e virar um homem", disse Tite, segundo registrado no livro, nos vestiários da Arena do Grêmio.

Desta vez, Tite encara o fato de maneira oposta. Nos vestiários, deu força a André e mostrou compreensão em relação às eliminações no Campeonato Paulista e na Libertadores. Até o jogo contra o Nacional (URU), André era o cobrador oficial de pênaltis do Corinthians. Não deve deixar de sê-lo. Após o jogo, o atual camisa 9 do Timão também rejeitou qualquer tipo de comparação.

"Pato é Pato, André é André".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos