São Paulo aciona a Conmebol contra arbitragens na Libertadores

O São Paulo resolveu acionar a Conmebol para reclamar de problemas enfrentados com a arbitragem durante a campanha da Copa Libertadores da América. Na última segunda-feira, o clube enviou uma representação à entidade e citou, principalmente, os incidentes no empate em 1 a 1 com o The Strongest (BOL), em La Paz, no dia 21 de abril.

- Um fato específico é que o quarto árbitro era local (boliviano) e não deveria ser. Foi ele quem intimidou e assediou nosso banco durante toda a partida, provocando a expulsão do nosso auxiliar (José Daniel Di Leo). Depois, pediu que o árbitro expulsasse o Calleri. Fizemos isso agora porque outras coisas foram acumuladas - explicou Leco, em pronunciamento no Morumbi.

Ao contrário do que era esperado, nenhuma reclamação foi direcionada a Wilmar Roldán. O colombiano, sorteado pela Conmebol para apitar o duelo de ida das quartas de final contra o Atlético-MG, tem certo histórico negativo com o São Paulo por expulsões polêmicas, mas foi elogiado por Leco e também por Edgardo Bauza, que também lamentou citou problemas na Libertadores.

- É inegável que o São Paulo, nesta fase do torneio, tem preocupação com a arbitragem. Não é nada que se refira ao Wilmar Roldán. Esperamos que amanhã (quarta-feira) ele faça um bom trabalho. Algumas situações nos causaram preocupação e por isso nos dirigimos à Conmebol. É para evitar que os problemas se repitam - disse o presidente, antes de Bauza reforçar:

- Algumas arbitragens foram complicadas. Uma em La Paz e a última no México. Creio que em La Paz o árbitro não ajudou, muito menos seus assistentes. Não conseguiram conter a reação de quem havia sido eliminado. Contra o Toluca foram erros, mas que podem passar, como o pênalti não marcado. Agora, vejo Wilmar Roldán como um dos melhores da América do Sul e estou convicto de que será uma bela arbitragem - destacou Patón.

Leco ainda citou outros erros contrários ao São Paulo na Libertadores, como um gol legítimo não validado de Alan Kardec na fase preliminar contra o Cesar Vallejo (PER) e um pênalti não marcado em Calleri contra o River Plate (ARG), em Buenos Aires, na fase de grupos. O mandatário, porém, assegura que a representação não significa pressão por benefícios ao Tricolor.

- Não sei o que o Atlético-MG pensará sobre isso, só sei que agi de forma importante para os interesses do São Paulo - encerrou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos