Gabriel quer recuperação rápida de olho em vaga entre titulares e renovação

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Gabriel quer voltar aos gramados o mais rápido possível por renovação com o Palmeiras

    Gabriel quer voltar aos gramados o mais rápido possível por renovação com o Palmeiras

O Pitbull está ferido novamente. A lesão no adutor da coxa esquerda de Gabriel é grave e vai demandar de três a quatro meses de tratamento. Tudo isso depois de o volante disputar apenas oito partidas após se recuperar da cirurgia no joelho esquerdo.

O novo problema atrapalha ainda mais o camisa 18 na briga por uma vaga entre os titulares. Na estreia pelo Campeonato Brasileiro, no último sábado, Cuca escolheu Matheus Sales e Jean (revezando com Tchê Tchê) para a posição de volante.

Gabriel também corre contra o tempo para convencer a diretoria a renovar seu contrato. Ele está emprestado até o fim do ano pelo Monte Azul-SP, clube parceiro da OTB Sports, empresa de seus agentes. Para comprar 100% dos direitos econômicos, será preciso desembolsar 4 milhões de euros (R$ 15,8 milhões).

Por outro lado, o clube tem conseguido recuperar os atletas machucados antes dos prazos estabelecidos. O próprio Gabriel evoluiu rápido após reconstruir o ligamento cruzado do joelho esquerdo: ele operou no dia 5 de agosto de 2015 e voltou a treinar no campo em 18 de janeiro de 2016, pouco mais de cinco meses depois. A expectativa era de que demorasse entre seis e oito meses.

Por precaução da comissão técnica de Marcelo Oliveira, o volante voltou a ser relacionado sete meses após a cirurgia, para um jogo contra o Capivariano. O retorno aos jogos foi logo na estreia de Cuca, em 17 de março, contra o Nacional (URU), pela Copa Libertadores.

Mouche, Moisés, Arouca, Rodrigo e Robinho também integram a lista de atletas que se recuperaram rapidamente. De acordo com o departamento médico, desde o início do ano passado, o zagueiro Edu Dracena foi o único atleta que não conseguiu retornar antes do prazo normal para aquele tipo de lesão - na panturrilha, sofrida em janeiro desta temporada.

Veja exemplos de recuperações rápidas:

Mouche

Argentino reconstruiu o ligamento cruzado anterior do joelho direito e foi liberado para os treinos cinco meses depois, um mês antes do prazo mínimo estipulado. Hoje ele está emprestado ao Lanús.

Moisés

Meia operou o pé esquerdo em 15 de fevereiro. O prazo para o retorno era de quatro meses, mas ele já jogou no último sábado, 14 de maio. Outro que retornou um mês antes do esperado para o tipo de lesão.

Rodrigo

Volante lesionou o tornozelo direito em 18 de janeiro e tinha previsão de retorno variando entre três e quatro semanas. Voltou a treinar com bola em 2 de fevereiro, pouco mais de duas semanas depois.

Arouca

Volante teve uma lesão grave em 6 de outubro: desprendimento entre o músculo e o osso na coxa direita. Havia o risco de retorno só em 2016, mas ele jogou já em 18 de novembro. Em 26 abril, já havia sofrido problema semelhante na outra coxa - em 19 de maio já estava fazendo jogo-treino na Academia e voltou a jogar em 31 de maio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos