São Paulo reclama com Conmebol após foguetório da torcida do Galo

O São Paulo fez uma reclamação formal à Conmebol por conta do foguetório armado pela torcida do Atlético-MG na mandrugada desta quarta-feira no hotel onde os paulistas estão concentrados. Os dirigentes do Tricolor entraram em contato com o delegado da partida desta quarta, em Belo Horizonte, exigindo que o caso seja apurado.

Torcedores do Galo, adversário do São Paulo nas quartas de final da Libertadores, montaram uma estratégia para incomodar o sono dos são-paulinos à noite. Das 0h30 às 4h, houve queima de rojões, com intervalos. A delegação tricolor está hospedada num hotel na zona norte de BH.

O diretor de futebol do São Paulo, Luiz Cunha, relatou dificuldade para dormir por conta do barulho provocado pelos fogos.

- Muito ruim. Ruim para dormir, sempre se ouvindo barulho. Não é legal esse tipo de coisa - afirmou.

O relato dos jogadores foi mais ameno. Um deles relatou à reportagem que pode-se ouvir barulho à noite, mas que nada que irritasse ou atrapalhasse o descanso. O grupo encarou mais como uma situação corriqueira.

A PM de Belo Horizonte deteu quatro torcedores que circulavam pelo hotel com fogos de artíficio. Eles foram encaminhados à delegação, prestaram depoimento e foram liberados em seguida.

A queima de fogos no hotel do adversário é um ato comum dos atleticanos desde 2013, quando o time sagrou-se campeão da Libertadores. Para o jogo desta quarta, a torcida ainda prepara um grande mosaico a ser exibido na Arena Independência e promete pressionar o São Paulo. Os comentários dos são-paulinos cobrando boa arbitragem também incendiou mais os mineiros, que estão em desvantagem no confronto por conta da derrota por 1 a 0 no jogo de ida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos