Renato fala em 'sacrifício' e garante virada do Santos mesmo com cãibras

O Santos foi para o intervalo diante do Coritiba perdendo por 1 a 0. Naturalmente, insatisfeito com a postura da equipe, o técnico Dorival Júnior fez mudanças, chegou ao empate e mudou de novo buscando a vitória dentro de casa.

Entretanto, como é risco quando se faz as três alterações, o imprevisível deu as caras e Renato parecia não ter mais condições de jogo. Para não desfalcar a equipe, o volante se manteve em campo e foi premiado pela força de vontade no último lance, quando apareceu na área e marcou o gol da virada.

- Foi cãibra nas duas panturrilhas, até no adutor deu em uma jogada na lateral. Ficou puxando, mas eu não tinha como ficar fora, claro que com um pouco de preocupação, mas fui feliz de ter feito gol.

Com experiência de sobra aos 38 anos, Renato ainda revelou um pedido ao companheiro Thiago Maia. Mesmo precisando de um gol para vencer, Renato pediu ao jovem volante para que guardasse posição.

- Acabei pedindo pro Thiago Maia ficar, porque eu não tinha condições de correr. Se tivesse que dar um pique atrás de alguém, não ia chegar - admitiu o herói do jogo.

Reconhecendo a superação de um dos líderes do elenco - Renato é o capitão do time na ausência de Ricardo Oliveira - e enaltecendo o espírito de luta da equipe, o técnico Dorival Júnior disse que que a entrega em campo é o que pode resolver a partida quando falta técnica.

- Não sendo uma partida técnica ficaria faltando o espírito de luta. O Renato foi um exemplo típico. Mesmo com as dificuldades que teve, continuou acelerando, buscando, com intensidade e estava presente dentro da área como um atacante no ultimo minuto de jogo. Quando as coisas não acontecem, vamos por outro caminho - enalteceu o treinador após a partida.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos