Real Madrid mantém base de 2014. No rival Atlético, restaram apenas quatro

  • AFP PHOTO / GERARD JULIEN

    Finalistas em 2014, Real e Atlético voltam a decidir Liga dos Campeões

    Finalistas em 2014, Real e Atlético voltam a decidir Liga dos Campeões

Ao ser derrotado na final da Liga dos Campeões da Europa de 2014, o lateral-direito Juanfran prometeu à torcida do Atlético de Madri que o time voltaria a uma decisão do torneio em breve. Poucos acreditavam que a espera demoraria apenas dois anos e com o mesmo rival em cena, o algoz Real Madrid, vencedor daquele clássico por 4 a 1 na prorrogação, após um empate de 1 a 1 no tempo regulamentar. Os dois vizinhos da capital espanhola se enfrentam no próximo sábado, no Estádio San Siro, em Milão.

De lá para cá, os times ganharam novas caras e se desfizeram de alguns nomes. No Real Madrid, a saída mais significativa foi a do meia-atacante Di María, nome fundamental na vitória sobre o Atlético no Estádio da Luz. O argentino acabou parando no Manchester United e depois foi vendido pelos ingleses ao Paris Saint-Germain. Já no Atlético, Diego Costa desembarcou no Chelsea com status de astro.

No lado merengue, chegaram James Rodríguez (Monaco), Kroos (Bayern de Munique), Kovacic (Inter de Milão), Danilo (Porto), Kiko Casilla (Espanyol) e Keylor Navas (Levante). Lucas Vázquez e Casemiro voltaram de empréstimos de Espanyol e Porto, respectivamente. Apesar de não ficar entre os reservas, o brasileiro ganhou a medalha de campeão da Liga dos Campeões. Da base, o Real Madrid promoveu o zagueiro Nacho ao time principal.

No lado colchonero, as mudanças são mais significativas, com 12 reforços: Moya (Getafe), Oblak (Benfica), Savic (Fiorentina), Gámez (Málaga), Giménez (Danubio-URU), Kranevitter (River Plate), Augusto Fernández (Celta de Vigo), Carrasco (Monaco), Griezmann (Real Socidedad), Fernando Torres (Milan) e Correa (San Lorenzo). Das categorias de base, subiram Lucas Hernández, Olivier Torres, Saúl e Thomas.

No banco de reservas, duas mudanças no Real. O campeão Carlo Ancelotti ficou mais uma temporada à frente do time, não resistindo à eliminação para a Juventus, na semifinal. O espanhol Rafa Benítez assumiu no lugar do italiano, mas não resistiu até o início deste ano. O ex-jogador Zinedine Zidane entrou no cargo, com a chance de conquistar a primeira Champions na curta carreira de treinador.

Já entre os alvirrubros, o argentino Diego Simeone segue firme e forte desde dezembro de 2011. Com ele no comando, o Atlético levou uma Copa do Rei, um Campeonato Espanhol, uma Liga Europa, uma Supercopa da Europa e uma Supercopa da Espanha. Falta apenas a Liga dos Campeões.

Outros aspectos importantes também merecem atenção nestas comparações. Se olhar para o banco de reservas de 2014, Simeone não terá nenhum jogador à disposição para a final. Todos os suplentes já estão em outros clubes. Já Zidane pode utilizar quatro reservas daquela final de Lisboa, dois deles, inclusive, devem titulares: o lateral-esquerdo Marcelo e o zagueiro Pepe.

Entre titulares e reservas, o Real Madrid tem 11 jogadores que estiveram em Lisboa. Já o Atlético ficou com apenas cinco.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos