Quenianos dominam principais provas da Maratona do Rio

Em uma linda manhã de sol, o clima foi de muita festa e confraternização entre os 29 mil corredores que participaram da 14ª edição da Maratona CAIXA da Cidade do Rio de Janeiro neste domingo, dia 29 de maio. A supremacia africana no evento chamou a atenção: na prova de 42 km, os quenianos Elijah Kipkemei Kemboi e Priscila Lorchima não deram chance para os seus adversários e se sagraram campeões. Na Meia Maratona, mais domínio dos estrangeiros: o queniano Willian Kibor e a tanzaniana Failuna Abdi Matanga mantiveram um ritmo forte durante todo o percurso e subiram no lugar mais alto do pódio. Novidade na edição deste ano, os pontos de música ao longo do percurso e o show do grupo Groove Bloco no Aterro do Flamengo foram pontos altos do evento, animando corredores e o público presente.

A prova de 42 km teve largada no Recreio dos Bandeirantes com o pelotão de elite correndo no mesmo ritmo. Na altura da praia da Reserva, os corredores passaram a formar dois grupos, e a partir do Leblon, três quenianos passaram a travar uma eletrizante disputa pelo primeiro lugar. No final, vitória de Elijah Kipkemei Kemboi, que cruzou a linha de chegada com o tempo de 2h17min09s. O segundo lugar ficou com seu conterrâneo Dickson Kimeli Cheruiyot seguido por Willy Kangogo Kimutai, bicampeão da prova e detentor do recorde dos 42 km na competição carioca (2h14min57s), marca obtida no ano passado. O melhor brasileiro da prova foi Ubiratan José dos Santos, que ficou na quarta colocação; Sergio Celestino da Silva completou o pódio.

- Foi uma prova muito difícil porque estava muito quente. O clima aqui é muito úmido e o sol estava muito forte. Mas corri bem e fiz um dos meus melhores tempos em maratonas - declarou Elijah Kemboi, vencedor da Maratona.

Melhor brasileiro na corrida, o pernambucano Ubitaran comemorou bastante o seu resultado e comentou sobre a prova, cujo percurso ele nunca tinha feito:

- A prova tem várias partes com subida, eu esperava um percurso mais plano. Não estou acostumado a treinar em lugares com relevo, então fiquei feliz com o resultado, pois foi minha primeira prova no Rio e ela é bem difícil.

Já na prova feminina, o Quênia dominou o pódio mais uma vez: com o tempo de 2h41min23s, Priscila Lorchima chegou em primeiro, seguida pela também queniana Leah Jerotich. A terceira colocação ficou com a brasileira Mirela Saturnino. A queniana Nelly Jepkurui e a brasileira Rejane Ester Bispo completaram o pódio, chegando em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Quênia e Tanzânia no topo do pódio nos 21 km

Na Meia Maratona, os africanos continuaram com tudo: na disputa masculina, vitória do queniano Willian Kibor, com o tempo de 1h03min54s, seguido de perto pelo seu conterrâneo Robert Kiplorir Kipchumba, que chegou apenas um segundo atrás do campeão. Os brasileiros Giovani dos Santos, Valério de Souza e Gilberto Silvestre chegaram na terceira, quarta e quinta colocação, respectivamente.

Na prova feminina, a tanzaniana Failuna Abdi Matanga dominou a disputa e venceu com o tempo de 1h13min59s. O segundo lugar ficou com a queniana Esther Chesang Kakuri, enquanto as brasileiras Viviane Amorim, Ana Paula do Nascimento e Andrea Folegatti completaram o pódio da Meia Maratona.

Nos 6 km, Brasil venceu no masculino e no feminino

Na Olympikus Family Run, dois jovens brasileiros levaram a melhor sobre seus adversários: no masculino, vitória de Welerson Rafael Pires, de 20 anos, que percorreu os 6 km da prova em 18min59s. Na disputa feminina, quem levou a melhor foi Antonia Keila da Silva, de 22 anos, que concluiu o percurso em 22min02s.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos