Equipe feminina se mantém, enquanto time masculino muda para a Rio-2016

Pequim-2008: Ketleyn Quadros conquista a primeira medalha de uma brasileira no judô, em uma edição de Jogos Olímpicos, ao terminar com um bronze.

Londres-2012: Sarah Menezes se torna a primeira judoca do Brasil a obter um ouro na Olimpíada.

Rio-2016: Com um pouco mais de dois meses para o início das competições na capital carioca, as atletas brasileiras já alcançaram outro feito inédito: pela primera vez, a equipe feminina é repetida em duas edições diferentes dos Jogos. Se não bastasse, dos 14 convocados no total (sete de cada naipe, sendo um para cada categoria), são quatro estreantes, todos no masculino.

- Na verdade, não surpreende nem um pouco esse fato inédito de ter 100% das atletas femininas que foram para Londres-2012 indo para a competição no Rio de Janeiro. Isso foi fruto de um planejamento. Começamos a investir nessa geração em Pequim-2008. Tivemos duas atletas que foram aos Jogos da China e eram muito jovens: a Mayra Aguiar e a Sarah Menezes. Já nos seguintes, elas foram medalhistas. Tínhamos essa noção de que, se mudasse a equipe, seria muito pouco - afirmou Ney Wilson, gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

As sete convocadas são Sarah Menezes (48kg), Érika Miranda (52kg), Rafaela Silva (57kg), Mariana Silva (63kg), Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman (+78kg).

Já entre os homens, ainda restavam dúvidas nas categorias ligeiro, meio-pesado e pesado. E Felipe Kitadai, Rafael Buzacarini e Rafael Silva levaram a melhor em cima de Eric Takabatake, Luciano Corrêa e David Moura, respectivamente. Buzacarini é um dos novatos, assim como Charles Chibana (66kg), Alex Pombo (73kg) e Victor Penalber (81kg). Já o experiente Tiago Camilo (90kg) vai disputar sua quarta Olimpíada na carreira.

- A equipe masculina de Londres, em 2012, era madura, e já esperávamos entrar em um processo de renovação logo após os Jogos. Hoje, temos uma Seleção olímpica com quatro atletas novos e poderíamos chegar a seis, o que mostra essa renovação da equipe masculina. Mas é um time talentoso, que está em crescimento - avaliou Wilson.

Sem meta de medalhas no Rio

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) resolveu não estipular uma meta de medalhas para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A única expectativa é melhorar o resultado de Londres-2012, quando foram conquistadas quatro láureas: uma de ouro e outras três de bronze.

Tal medida foi tomada após uma reunião com os atletas. Segundo os próprios judocas, a meta poderia gerar uma pressão a mais durante os Jogos. Assim, o objetivo é evoluir em "quantidade" ou em "qualidade".

Dos 14 convocados, cinco já conseguiram medalhas olímpicas: Sarah Menezes (ouro em Londres-2012), Mayra Aguiar (bronze em Londres), Felipe Kitadai (bronze em Londres), Tiago Camilo (prata em Sydney-2000 e bronze em Pequim-2008) e Rafael Silva (bronze em Londres).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos