Neta do líder da direita francesa a Benzema: 'Vá defender a Argélia'

Neta do principal nome da extrema-direita da França, a deputada Marion Le Pen aconselhou o atacante Benzema a nunca mais defender a seleção gaulesa. Ela e o avô Jean-Marie Le Pen fazem parte da Frente Nacional, partido ultranacionalista do país.

Na terça-feira, em entrevista ao jornal "Marca", Benzema justificou a a ausência entre os convocados da Eurocopa graças ao racismo que toma conta da França. O camisa 9 do Real Madrid tem origem argelina e não canta o hino do país quando defende os Bleus.

- Que jogue pelo seu país (Argélia) se não é feliz - escreveu Marion Le Pen, em mensagem direcionada a Benzema, no Twitter.

O primeiro ministro da França, Manuel Valls, fez questão de rebater as afirmações de Benzema.

- A França não deixa de convocar seus jogadores em função da cor da pele ou origem. O atacante não deu a versão correta sobre a seleção - ressaltou.

Benzema foi acusado de cumplicidade em tentativa de chantagear o meia Valbuena, do Lyon, e participação em uma associação de malfeitores. Ele prestou depoimento à Justiça francesa no dia 5 de novembro de 2015 e ficou proibido de manter contato com outros acusados e com o próprio Valbuena, apontado como vítima do camisa 9. Desta forma, os dois jogadores ficaram fora dos últimos amistosos e convocações da seleção.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos