Com dispensa de Monique, posição é definida na Seleção feminina de vôlei

A primeira posição da Seleção feminina de vôlei para a Olimpíada do Rio já está definida. Após a oposta Monique Pavão pedir dispensa do grupo que treina para os Jogos por conta de problemas pessoais, o treinador José Roberto Guimarães confirmou os dois nomes que irão para o evento: Sheilla e Tandara.

A atleta pediu sua desconvocação, mas o motivo não foi revelado pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV). Questionado sobre o assunto, o assessor da entidade alegou apenas que foram problemas pessoais. A irmã de Monique, Michelle, que defendia a Seleção B no torneio de Montreux, na Suíça, também se desligou do grupo e retornou para o Brasil.

Com isso, a lista de 19 nomes cai para 18, sem contar a levantadora Fabíola, que ainda não se juntou ao elenco. Entre essas atletas, sairão as 12 que defendem o Brasil na Olimpíada. Perguntado sobre a posição de oposta, Zé Roberto afirmou que nenhuma jogadora será integrada ao grupo, e que a posição está fechada para os Jogos.

- Temos outras possibilidades de mudar as posições (com outras atletas), mas já é uma definição sim - comentou o treinador, citando que Sheilla e Tandara serão as "donas" da posição, ainda que ele possa revezar outras atletas na função, como a ponteira Natália.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos