Fagner vira capitão mais frequente e referência no Corinthians

Pequeno em tamanho, gigante em importância. Do alto de seus 1,68m, Fagner deixou o papel de mero coadjuvante na lateral direita e assumiu posto de referência no Corinthians. E não apenas técnica, mas também moral. Prova disso é que o camisa 23 foi o jogador que mais vezes foi escolhido pelo técnico Tite para ser capitão nesta temporada: sete vezes.

 

Além do perfil de líder demonstrado pelo atleta, pesa a favor dele o fato de ser o jogador que há mais tempo é titular da equipe. Ele caminha para completar o terceiro ano como dono absoluto da ala. Seus maiores "concorrentes" ou foram vendidos ou perderam espaço, como é o caso do goleiro Cássio.

 

Aos poucos, o lateral foi ganhando espaço e se impondo. Além de orientar os companheiros e ser uma das vozes de Tite dentro de campo, ele tem sido escolhido para dar entrevistas em momentos difíceis, como foi após as quedas no Paulistão e na Libertadores.

Tanta importância tem também um lado negativo. Fagner é um dos jogadores que Tite tem mais dificuldade para substituir à altura no Timão. Além da qualidade do titular, o treinador sofre com a carência de reservas. Edílson foi liberado para o Grêmio no mês passado, e Léo Príncipe, que retornou de empréstimo para ser opção no setor, nem sequer foi relacionado ainda para algum jogo da equipe.

 

Este, aliás, é um dos motivos para Fagner não ser poupado neste sábado, em duelo contra o Coritiba, às 20h30, na Arena Corinthians, que pode render a liderança do Brasileirão ao clube. Se vencer, o Alvinegro ultrapassará Grêmio e Internacional, que jogam no dia seguinte.

 

O destaque de Fagner extrapolou o âmbito corintiano. Aos 26 anos, ele esteve na pré-lista de convocados para a Copa América e alimenta o sonho de ser chamado no futuro para confrontos das Eliminatórias da Copa do Mundo 2018.

 

Autor de três gols e seis assistências em 2016, o camisa 23 vive incontestavelmente a melhor fase da carreira. Mesmo assim, tenta manter a humildade e os pés no chão...

 

- Isso é graças ao trabalho que é feito. A engrenagem permite que eu tenha liberdade e ajude o time.

 

CAPITÃES DO CORINTHIANS EM 2016:

 

Fagner - Foi capitão em sete dos 30 jogos oficiais deste ano, um recorde no atual elenco. Das cinco últimas partidas, vestiu a faixa em três, inclusive na vitória sobre o Santos, quinta-feira. Referência!

Bruno Henrique - É o segundo do atual elenco com mais partidas como o capitão, cinco ao todo. Um dos poucos titulares que são incontestáveis com Tite.

Cássio - Goleiro foi capitão em quatro partidas desta temporada, mas dificilmente voltará a ocupar a função, já que agora é reserva de Walter na meta.

Outros - Danilo, Uendel e Elias foram capitães três vezes, Felipe e Rodriguinho duas e até Edilson, que já saiu, foi uma. Tite gosta de promover rodízio da braçadeira.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos