Zebra aparece e Venezuela deixa Uruguai perto do adeus

Uruguai e Venezuela representou nesta quinta-feira o encontro entre o líder e o lanterna das Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial de 2018. No entanto, na Copa América edição centenária, essa credencial e o tradicional favoritismo celeste não deram as caras. A zebra, vestida de vinotinto, passeou na Filadélfia com o triunfo venezuelano por 1 a 0, gol de Rondón ainda no primeiro tempo.

Com o resultado válido pela segunda rodada do Grupo C, os uruguaios estão virtualmente eliminados com uma rodada de antecipação (duas derrotas e lanterna). Já a Venezuela manteve os 100% de aproveitamento (duas vitórias) e praticamente garantiu sua vaga nas quartas de final, que pode ser confirmada ainda nesta quinta-feira, caso o México vença ou empate com a Jamaica.

O cenário inicial parecia propício para a recuperação uruguaia. O adversário precisou fazer uma substituição logo aos sete minutos (Rosales lesionado) e o time celeste tinha um volume ofensivo consistente, sobretudo nas tentativas de jogadas aéreas. Em boa parte do primeiro tempo a blitz do Uruguai não foi transformada em gol por uma série de fatores: finalizações ruins, furadas de bola e até a trave.

Como no futebol que não faz leva, a Venezuela abriu o placar. Guerra vê o goleiro Murslera adiantado e chuta quase do meio de campo. A bola pega no travessão e no rebote Rondón faz a festa dos venezuelanos. A vantagem animou a equipe vinotinta, que quase foi para o intervalo com uma vantagem maior, mas Guerra parou no goleiro Muslera.

Com apenas 45 minutos para se manter vivo na Copa América, o Uruguai foi para o tudo ou nada. Intensificou seu domínio e presença na área adversária. Apesar da insistência, a defesa venezuelana se mostrava aguerrida e ia minando todas as tentativas uruguaias.

Com os minutos passando, a Venezuela se arriscava em contra-ataques com os espaços deixados pelos uruguaios. Peñaranda teve a chance de praticamente nocautear o rival, mas Muslera entrou em ação e evitou o pior. O jogo ficou aberto, com os venezuelanos desperdiçando oportunidades, enquanto o Uruguai, na base da raça característica, tentava ao menos o empate.

Cavani teve duas oportunidades claríssimas de manter o fio de esperança uruguaio. Mas o atacante não era Suárez, que do banco lesionado nada podia fazer. Agora, o astro do Barcelona vai possivelmente apenas cumprir tabela contra a Jamaica no sábado. Além dos venezuelanos (que encara o México no mesmo dia), a torcida do Vasco também comemorou o resultado. Afinal de contas, Martin Silva deve estar de volta antes do previsto. Coisas do futebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos