Fred dá adeus ao Flu e diz que saiu para não virar 'peso' para o clube

Depois de uma pequena novela, Fred deu adeus ao Fluminense. O atacante rescindiu seu contrato com o Tricolor nesta sexta-feira e acertou sua transferência para o Atlético-MG. Ele chegou ao clube no início da tarde e ficou reunido mais de quatro horas com a diretoria finalizando os últimos detalhes do fim de sua história no clube, que durou sete anos e três meses. Emocionado na coletiva de sua despedida, Fred em diversas vezes disse que queria continuar, mas resolveu sair ao perceber que sua permanência já estava ficando difícil para o Tricolor, que acenou que sua negociação seria boa.

- Eu falei pra diretoria que no dia que percebesse que eu era um peso para o cube, era para me falar. Hoje eu posso não estar sendo, mas as circunstâncias num futuro próximo, como dificuldades financeiras, pode ser que isso aconteça. Tivemos algumas conversas ao longo desse tempo e senti que a melhor forma era uma saída minha. Então resolvi que chegou a hora de sair da minha casa e construir uma nova - disse o atacante, ressaltando que ficaria se a decisão fosse só dele.

- Se fosse só minha, eu cumpriria meu contrato. Mas depois que se chega uma ideia que seria melhor uma saída, a gente trabalha o que é bom para todo mundo. Ninguém vai sentar em cima do contrato. Eu jamais faria isso - completou o atacante.

Fred também fez questão de deixar claro que o desentendimento com o técnico Levir Culpi não interferiu em nada em sua decisão de deixar o Fluminense. Segundo ele, já está tudo resolvido com o treinador, a quem inclusive pediu desculpas pelo ocorrido.

- Não. Com Levir não. Já me acertei com ele. Fui bem claro. Eu tinha pensado que estava tendo alguma coisa casada para minha saída, mas depois vi que não tinha nada disso. O Levir não teve peso nenhum nisso. Pelo contrário. Estava tudo bem com a gente. Graças a Deus, tive o tempo de pedir desculpas para o Levir e toda a família dele. Reconhecer o meu erro. Hoje minha relação com o Levir é tranquila - revelou o artilheiro, que fez questão de agradecer a todos no clube e à torcida tricolor.

- Eu só quero agradecer todo mundo que me deu muito apoio, a diretoria, os jogadores, todos os funcionários, os torcedores que me abraçaram nos momentos mais difíceis da minha vida, principalmente em 2014... Por ter me entendido também nos momentos de confusões, quando não pensei que ia conseguir dar a volta por cima.

O ídolo do Fluminense também negou que tenha aceitado a proposta do Atlético-MG para receber uma proposta melhor. Fred deu a entender novamente que saio para não onerar mais os cofres do Tricolor.

- 'Dinheiro? Aí não... Não tem nada de dinheiro nisso. Estou saindo porque... não estava dando para ficar. Várias situações, comecei a sentir que não estava tão fácil e tão simples as coisas. Estava bem no Flu, tinha mais dois anos e meio, e poderia ficar muito bem sentado por aqui. No dia que estiver pesado, eu saio. O problema não é dinheiro, se fosse dinheiro eu iria pra China (no começo do ano). Não é por dinheiro. Tenho uma filha no Brasil e a melhor coisa do mundo é poder criá-la do meu lado. A minha ideia era ficar no Fluminense por mais três anos em alto nível e encerrar minha carreira - explicou o atacante.

A contratação de Fred pelo Atlético-MG foi anunciada pelo presidente do clube mineiro, Daniel Nepomuceno, pelo Twitter, no final da noite da última quarta-feira. Porém, no dia seguinte a negociação começou a ter percalços. A falta de garantias financeiras atrasaram o acerto do atacante com o Galo. Fred, inclusive, era esperado nas Laranjeiras na última quinta para dar adeus ao Flu, mas não apareceu no clube por ainda não ter resolvido todos os detalhes com o clube mineiro, o que gerou uma certa apreensão sobre o negócio. Mais de 25 horas depois, com direito a muita espera e reuniões, o centroavante acabou selando sua saída do Flu e a ida para Belo Horizonte.

Fred chegou ao Fluminense em 2009, sendo importante na arrancada que livrou o Fluminense do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. No ano seguinte, faturou o primeiro dos títulos brasileiros com o tricolor. A segunda conquista do Brasileirão foi em 2012, quando ele também foi o artilheiro da competição.

O atacante deixa o Fluminense com 288 jogos, 172 gols e quatro títulos em 7 anos e três meses de clube. O atacante é o terceiro maior artilheiro da história tricolor.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos