Barça aprova acordo com a Justiça pelo fim do 'caso Neymar'

Após sete horas de reunião extraordinária, a diretoria do Barcelona concordou em pagar uma multa de 5,5 milhões de euros (R$ 21,5 milhões) à Receita Espanhola para encerrar o "caso Neymar". Anunciado nesta segunda-feira pelo presidente do clube, Josep Maria Bartomeu, o pacto com a Justiça foi aprovado por 14 votos a favor, dois contra e uma abstenção.

A decisão será submetida a uma aprovação, em uma nova assembleia do clube.

Com o tratado que será firmado em conjunto com a Promotoria e a Advocacia do Estado Espanhol, o Barça reconhecerá que cometeu crimes fiscais contra a Fazenda durante a contratação do atacante.

- Uma decisão difícil, mas melhor para o Barça. O acordo encerrará um procedimento penal que nunca deveria ter sido produzido. O clube reconhece que teve um erro de planificação contratual da obrigação fiscal do contrato do jogador, em 2011 e 2013 - afirmou Bartomeu, em entrevista coletiva.

O clube, agora, passará a ser julgado como pessoa jurídica, sem a inclusão dos dirigentes no processo. Sendo assim, o próprio Bartomeu e o ex-presidente do Barcelona Sandro Rosell estão livres da possibilidade de prisão.

Bartomeu também acredita que o acordo beneficiará o Barcelona na disputa jurídica contra a DIS, grupo que tinha 40% dos direitos de Neymar e que acusa os catalães e o Santos de acertarem um preço para os Blaugranas economizarem uma fração destinada aos investidores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos