EUA e Argentina jogam pela primeira vaga na final da Copa América

Na teoria, não é difícil apontar a Argentina como franca favorita a avançar à final da Copa América Centenário. Isso porque, Messi e companhia encaram os desfalcados e infrequentes Estados Unidos, nesta terça-feira, às 22h (de Brasília), no NRG Stadium.

No entanto, os anfitriões, que vêm de três vitórias consecutivas, contarão com a força da torcida texana para chegar a uma inédita decisão da competição. Os torcedores estadunidenses não verão três titulares contra os argentinos. São eles: o atacante Wood, o meia Bedoya e o volante Jones - todos suspensos.

Podendo contar com o ídolo "cowboy" Dempsey, o técnico Jürgen Klinsmann deve escalar os seguintes jogadores: Brad Guzan; DeAndré Yedlin (Matt Besler), Geoff Cameron, John Brooks, Fabian Johnson; Michael Bradley, Kyle Beckerman, Graham Zusi; Darlington NNgabe, Clint Dempsey e Gyasi Zardes.

A seleção argentina, por sua vez, busca chegar pela terceira vez seguida a uma final de Copa América e, consequentemente, quebrar um longo jejum sem títulos. Embora tenha Messi - artilheiro da competição até o momento com quatro gols -, o técnico Tata Martino terá duas dores de cabeça.

Sem poder escalar o suspenso Gaitán, Tata Martino também terá que se contentar com o menor tempo de recuperação em relação aos EUA, já que atuou pela última vez no sábado e os norte-americanos, na quinta passada. A Argentina deve vir a campo com: Sergio Romero; Gabriel Mercado, Nicolás Otamendi, Ramiro Funes Mori e Marcos Rojo; Augusto Fernández, Javier Mascherano e Ever Banega; Lionel Messi, Gonzalo Higuaín e Erik Lamela.

A outra partida das semifinais será realizada entre Colômbia e Chile, no dia seguinte, ou seja, na quarta, no estádio Soldier Field, às 21h (de Brasília).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos