Com 'benção' de Alex, Kazim mostra estrela e agrada torcida do Coxa

Estreia com gol. Vitória no clássico Atletiba e vestindo a consagrada camisa 10 de Alex. Colin Kazim-Richards não poderia ter começado melhor sua passagem pelo Coritiba. Inglês naturalizado turco, o atacante foi contratado no início de junho, mas precisou aguardar a abertura da janela de transferências e os trâmites burocráticos para, enfim, ser relacionado. O tempo de espera serviu apenas para aumentar a expectativa da torcida do Coxa. Pelo menos na estreia, ele correspondeu.

Com passagens por clubes de seis países, Kazim chegou ao Brasil para realizar um sonho de menino. Casado com a brasileira Mariana Bigão, o atleta explicou ao LANCE! que a vontade de atuar na terra da mulher surgiu quando dava seus primeiros passos no futebol e ficou encantado ao ver a Seleção de Felipão na Copa de 2002.

- Desde criança, sempre quis jogar no Brasil. Todos os meus jogadores preferidos são brasileiros, como Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo e Roberto Carlos. Estou vivendo meu sonho - disse o atleta, tentando arranhar algumas palavras em português.

A carreira deu muitas voltas até chegar à capital paranaense. Aos 29 anos, Kazim já passou por clubes da Inglaterra, Turquia, França, Grécia, Holanda e Escócia, além de ter defendido a seleção turca. Desta vez, graças à origem da mulher, o choque cultural de morar em um novo país não será tão grande.

- Joguei em vários lugares e tive contato com culturas totalmente diferentes. Mas o Brasil não é estranho para mim. Minha mulher nasceu aqui, meus filhos também, conheço muito o País. Também joguei com vários brasileiros e acredito que não terei problemas dentro de campo - afirmou ele, que conta com apoio especial fora dos gramados: tem a benção do ex-capitão Alex, com quem atuou no Fenerbahçe (TUR) entre 2007 e 2011, e que lhe deu "autorização" para vestir a mesma camisa que o consagrou no Coritiba.

- É um grande privilégio usar o número de Alex. Antes de eu assinar o contrato, conversamos e e ele me contou a história do clube. Partiu do meu próprio interesse vir, falei com minha família e depois com ele. Foi uma decisão fácil. Pela importância que Alex teve, essa camisa 10 deveria ser aposentada, mas pedi permissão e ele concordou. Significa muito - reconhece o turco.

Kazim-Richards tem vínculo até o fim de 2017. Se vai repetir os passos de Alex é outra história, mas a estreia bem-sucedida, somada ao aval do maior craque já formado no clube paranaense, já são mais que suficientes para o turco virar sinônimo de esperança para a torcida coxa-branca.

Bate-bola com Alex sobre Kazim:

'Trocar de continente nunca é fácil e demanda tempo'

Quando você jogou com Kazim na Turquia, ele falava sobre o desejo de um dia jogar no Brasil?

Ele sempre falou que tinha vontade de jogar no Brasil, porque acompanha o futebol daqui e gostava dos jogadores brasileiros. Tinha muitos como referência, e acabou conhecendo uma mulher brasileira, o que deve ter aumentado essa vontade dele.

O que você disse a ele quando surgiu o convite do Coritiba?

Ele sabia da existência do clube, mas não conhecia a fundo. Expliquei a história e como o Coritiba é visto no cenário nacional, disse que foi onde eu iniciei e encerrei minha carreira. Poucos dias depois, ele assinou. Fiquei curioso, porque não é normal um jogador sair da Europa e vir jogar no Brasil.

Você acha que ele será um reforço de peso para o Coritiba?

Acho que ele vai ajudar o time, mas nunca considero ninguém de peso, porque sei das dificuldades de adaptação. As características dele são totalmente diferentes do que o público brasileiro está acostumado. Fico mais curioso para saber como vai ser o processo. Trocar de continente não é fácil e demanda tempo. Quando eu voltei da Europa após quase uma década, senti diferença grande e tive que me adaptar novamente. Mas me coloquei à disposição para ajudar no que for preciso. Sei que ele está tendo uma boa recepção pela torcida e pelo clube, e acredito que esteja bem amparado.

Quais são as características de Kazim dentro de campo?

As típicas de um jogador inglês. Ele é muito forte, fisicamente privilegiado, muito alto (1,85m), com velocidade e explosão muito grandes. Mas faz tempo que não o vejo jogar, não sei como está agora.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos