Fluminense segue oscilando e fica apenas no empate com o Coritiba

Nos últimos dias a conversa nas Laranjeiras era em torno da oscilação do time do Fluminense, capaz de jogar bem uma partida e se apagar na outra. Ou fazer um mau primeiro tempo e melhorar na etapa final. E, ontem, contra o Coritiba, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, pela 13ª rodada da Série A do Brasileiro, mais uma vez, esta esta irregularidade ficou escancarada.

Após um bom primeiro tempo, com pelo menos trés ótimas chances de gol, o Tricolor voltou do intervalo tenso, com pouca eficácia, sem saber como encontrar espaços depois que o Coxa conseguiu arrumar a sua marcação, efetivamente só assustando em bolas paradas e, nos dez minutos finais, num abafa sem organização. Como o Coritiba se conformou em ficar lá atrás na etapa final, o resultado ficou num frustrante 0 a 0 que mantém o Fluminense ali entre o céu e o inferno no miro da tabelas com 17 pontos e o Coritiba, 14 pontos, colado na zona de degola e podendo fechar a rodada no Z4.

O JOGO

Foi um primeiro tempo muita vontade das equipes. O Fluminense com maior posse de bola, mas errando passes que geravam contra-ataques para o Coritiba, que tinha o meia Juan cadenciando o jogo e Kleber Gladiador usando mais a velocidade. Um desses erros deu a Kleber o primeiro bom momento, um chute cruzado, pela esquerda do ataque que Diego Cavalieri espalmou aos 13. A resposta do Flu veio em dose dupla antes dos 20 minutos. primeiro no chuveirinho que Scarpa cobrou e Henrique (ex-Coxa) cabeceou no travessão. Mai um pouquinho, e o outro ex-Coritiba Dudu pegou de primeira de fora da área. Wilson fez um defesaço.

O jogo estava bom e o Fluminense mais encaixado. Magno Alves passou a jogar aberto pelo flanco direito puxando os contra-ataques que surgiam e por pouco o Tricolor não abriu o placar num de seus melhores lances na primeira etapa. Scarpa lançou Magno Alves e o lateral Wellington Silva cortou em diagonal para receber o passe na cara de Wilson. Infelizmente para ele e para o Fluminense, o lateral chutou em cima do goleiro. Mas estava claro que o time carioca era bem mais objetivo e o Coritiba muito fechado.

Um bom passe em profundidade de Felipe Amorim para Leandro que acabou abafado por Diego Cavalieri e uma cabeçada de Henrique que Wilson mais uma vez apareceu fecharam o bom primeiro tempo no qual o Fluminense foi melhor, mas o Coxa também assustou.

O segundo tempo começou insosso, com o Fluminense sem a mobilidade dos 45 minutos iniciais e com maior dificuldade para chegar ao ataque depois que o Coxa voltou com Vinícius e Alan Santos na meiúca. Por isso, Levir Culpi buscou alterações para buscar a vitória com as entradas de Richarlisson e Maranhão. Mas pouco adiantou. Sem inspiração, o Tricolor do Rio não construía jogadas em cima do fechado Coritiba, fazendo uma etapa final muito ruim, só assustando na bola parada, como uma que William Matheus cobrou e Edson e Wellington Silva não conseguiram colocar na rede. Por tudo o que não mostrou no segundo tempo, o Fluminense saiu sob vaias. Merecidas.

FLUMINENSE 0 X 0 CORITIBA

SÉRIE A DO BRASILEIRO - 13ª rodada

DATA E HORÁRIO: 2/7/2016 16h (de Brasília)

LOCAL: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)

ÁRBITRO: Leandro Vuaden (Fifa-RS)

AUXILIARES: Fabrício Vilarinho (GO) e Rafael da Silva Alves (RS)

CARTÕES AMARELOS: Pierre (FLU), Luccas Claro e Carlinhos (COR)

CARTÕES VERMELHOS: -

GOL: -

RENDA E PÚBLICO: ND

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Henrique, Gum, William Matheus; Pierre, Edson, Dudu (Maranhão, 12'/2ºT), Gustavo Scarpa; Osvaldo (Samuel, 34'/2ºT) e Magno Alves (Richarlison, 12'/2ºT). TEC: Levir Culpi

CORITIBA: Wilson, Dodô, Luccas Claro, Juninho e Carlinhos; João Paulo, Fábio Braga (Alan Santos, 10'/2ºT), Felipe Amorim (Vinícius, Intervalo) e Juan; Leandro (Kazim, 29'/2ºT) e Kleber. TEC: Pachequinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos