Respaldado no Corinthians, Cristóvão revê clube de seu trabalho mais curto

Cristóvão Borges é treinador de futebol há menos de cinco anos. O primeiro desafio do ex-jogador foi pelo Vasco, em substituição a Ricardo Gomes, afastado por problemas de saúde em agosto de 2011. De auxiliar a efetivado, o baiano de 57 anos teve passagens por Bahia, Fluminense, Flamengo e Atlético-PR antes de assinar contrato com o Corinthians há duas semanas para substituir Tite. Respaldado por um contrato válido por uma temporada e meia, o treinador fará seu quarto jogo neste domingo, justamente contra o Flamengo, clube em que realizou seu trabalho mais curto.

O treinador havia deixado o Fluminense no fim de março do ano passado e permaneceu apenas dois meses desempregado até receber proposta para dirigir o rival Flamengo. O anúncio ocorreu no dia 27 de maio de 2015, mas a trajetória não foi muito longa... após oito vitórias, um empate e nove derrotas, com aproveitamento de 46,2% dos pontos disputados, Cristóvão foi demitido do Flamengo em 20 de agosto do mesmo ano. Foram apenas 85 dias pelo clube e 18 partidas realizadas. Contando todos os clubes pelos quais passou, foi no Fla a menor duração de um trabalho até agora.

Depois do curto período no Flamengo, Cristóvão Borges ainda dirigiu o Atlético-PR entre o fim de 2015 e o início de 2016, mas realizou apenas dois jogos a mais - nove vitórias, sete empates e quatro derrotas em 20 partidas, aproveitamento de 56%. Ele foi demitido no dia 4 de março, e permaneceu sem clube até o dia 19 de junho, quando foi anunciado pelo Corinthians com contrato até o fim de 2017 e respaldo da diretoria de futebol.

- Acho bastante importante que o torcedor tenha paciência. Lógico que se o time começa a perder muito ninguém tem paciência, a gente sabe disso. Mas o importante é que a gente trouxe um profissional competente, sério, honesto, um cara muito boa gente, que sabe lidar com todos os atletas, é isso o que a gente buscava. O Corinthians hoje tem uma estrutura pronta, então é um treinador que se encaixa nessa estrutura e vai junto neste barco que já está navegando. Então o torcedor sabe que precisa da paciência - disse o presidente do clube, Roberto de Andrade, no dia do anúncio.

Cristóvão Borges não foi nenhum plano A do Corinthians para substituir Tite. Representantes do clube fizeram consultas a Roger Machado, do Grêmio, Eduardo Baptista, da Ponte Preta, e Fernando Diniz, do Oeste/Audax, mas nenhum deles se interessou em ouvir proposta. Também houve consultas a Oswaldo de Oliveira, do Sport, Vágner Mancini, do Vitória, e Sylvinho, hoje auxiliar técnico da Inter de Milão (ITA) - o Corinthians diz ter consultado apenas o último profissional, que não retribuiu o interesse. Daí surgiu o nome de Cristóvão.

O técnico estreou no Corinthians com derrota por 2 a 1 diante do Atlético-MG, no Mineirão, mas depois disso venceu Santa Cruz (2 a 1) e América-MG (2 a 0). Com ele, a equipe tem cinco gols marcados e dois sofridos.

VEJA O RETROSPECTO DE CRISTÓVÃO BORGES AO LONGO DA CARREIRA:

VASCO (agosto de 2011 a setembro de 2012)

78 jogos (41 vitórias, 18 empates e 19 derrotas) - 60,2% de aproveitamento

BAHIA (maio de 2013 a dezembro de 2013)

42 jogos (14 vitórias, 13 empates e 15 derrotas) - 43,6% de aproveitamento

FLUMINENSE (abril de 2014 a março de 2015)

58 jogos (28 vitórias, 11 empates e 19 derrotas) - 54,5% de aproveitamento

FLAMENGO (maio de 2015 a agosto de 2015)

18 jogos (8 vitórias, 1 empate e 9 derrotas) - 46,2% de aproveitamento

ATLÉTICO-PR (outubro de 2015 a março de 2016)

20 jogos (9 vitórias, 7 empates e 4 derrotas) - 56% de aproveitamento

CORINTHIANS (junho de 2016 até agora)

3 jogos (2 vitórias e 1 derrota) - 66,6% de aproveitamento

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos