São Paulo sofre com expulsão polêmica e Ponte vence em Campinas

O São Paulo não merecia sair derrotado do Moisés Lucarelli neste domingo. Mas, olhando com mais atenção, talvez a vitória por 1 a 0 da Ponte Preta tenha sido justa no jogo da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Daqui a pouco a gente decide por aqui, amigos. Só peço que não reclamem muito, porque desta vez seremos intocáveis como os árbitros da Série A.

Tamanha indecisão acima é apenas um espelho para o que aconteceu em Campinas, graças ao trio de arbitragem. Afinal, com sete minutos de jogo, Matheus Reis merecia cartão amarelo por entrada duríssima em Matheus Jesus. E um minuto depois? Vermelho nele, meus caros!

Vinícius Furlan, o árbitro, assim concluiu após o técnico Eduardo Baptista protestar sem parcimônia com o bandeira Bruno Salgado Rizzo. Havia um leve ferimento na canela de Jesus, um pecado milagroso que trocou a cor do cartão. Não era dia de Reis, que o diga Edgardo Bauza, que também quis protestar, mas esbarrou na soberba de Furlan e acabou expulso.

O auxiliar José Di Leo - na lógica do árbitro, também deveria ser excluído - assumiu o São Paulo, que não teve tempo de mostrar a capacidade de seus reservas. Luiz Araújo, por exemplo, foi sacrificado aos 17 minutos para Carlinhos recompor a lateral esquerda, prejudicando os planos de preservar o camisa 6 para a semifinal da Copa Libertadores da América.

A Ponte, que sacou Matheus Jesus rapidamente após cartão amarelo por acertar o rosto de Centurión, não criou nada no primeiro tempo e escapou de chance clara do São Paulo por mais um erro da arbitragem. O auxiliar Fabrício Porfírio de Moura marcou impedimento totalmente equivocado de Alan Kardec, que saía cara a cara com o goleiro João Carlos.

A Macaca só conseguir se impor no segundo tempo, sempre explorando a fragilidade de Caramelo na lateral direita. Assim, Reinaldo, ele mesmo, começou a jogada, Wellington Paulista fuzilou Denis e Clayson fez no rebote. Bom, a partida parecia recolocada nos trilhos. Furlan exagerava em alguns cartões por faltas de jogo, mas a cabeça estava mais baixa.

E assim não viu agressão de Fábio Ferreira, já amarelado, em Calleri, que entrou para ganhar ritmo nos minutos finais. Uma derrota dolorida pelas circunstâncias, por deixar o G4 mais longe com 18 pontos, mas que pode inflamar o time para encarar o Atlético Nacional (COL). A Ponte, alheia a tudo isso, chega a 20 pontos e se candidata a brigar mais acima na tabela. Pelo menos é o que pensamos agora...

FICHA TÉCNICA:

PONTE PRETA 1X0 SÃO PAULO

Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)

Data/Hora: 3 de julho de 2016, às 16h

Árbitro: Vinícius Furlan (SP)

Assistentes: Bruno Salgado Rizzo e Fabrício Porfírio de Moura (ambos de SP)

Público/Renda: 5.551/R$ 116.870

Cartões amarelos: Matheus Jesus, Fábio Ferreira e Renê Júnior (PON); Wesley e Ytalo (SAO)

Cartões vermelhos: Matheus Reis (8'/1ºT) e Edgardo Bauza (SAO)

Gol: Clayson, 12'/2ºT (1-0)

PONTE PRETA: João Carlos, Jeferson, Fábio Ferreira, Douglas Grolli e Reinaldo; João Vitor, Renê Júnior (Thiago Galhardo, 27'/2ºT) e Matheus Jesus (Ravanelli, 22'/1ºT); Wellington Paulista, Clayson e Pottker (Roger, 40'/2ºT). Técnico: Eduardo Baptista.

SÃO PAULO: Denis, Caramelo (Calleri, 33'/2ºT), Lugano, Lyanco e Matheus Reis; Artur, Wesley, Luiz Araújo (Carlinhos, 17'/1ºT), Cueva e Centurión (Ytalo, 39'/2ºT); Alan Kardec. Técnico: Edgardo Bauza.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos