Médico do Corinthians será julgado na segunda-feira por doping de Yago

O consultor médico do Corinthians Joaquim Grava será julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) na próxima segunda-feira. Ele terá de responder pelo caso de doping do zagueiro Yago.

O jogador foi flagrado em exame que apontou o uso de betametasona antes de clássico contra o Santos, ainda no Paulistão, em março. Essa substancia é proibida quando aplicada de quatro formas: intravenosa, intramuscular, retal e oral. No caso de Yago, porém, a aplicação foi de forma intra-articular, para amenizar dores por uma inflamação no joelho do atleta.

Joaquim Grava foi o responsável por receitar o medicamento a Yago. Em entrevistas e também no depoimento na Federação Paulista de Futebol, o médico assumiu a responsabilidade pela aplicação.

Yago teve de cumprir suspensão de um mês e não corre risco de voltar a ser punido. Já Joaquim Grava pode ser apenas advertido e receber até quatro anos de suspensão. A alegação das autoridades de controle antidopagem é de que o clube deveria ter solicitado autorização para utilizar betametasona em Yago.

Recuperado de lesão no tornozelo direito, o zagueiro voltou a ser relacionado para a partida deste sábado, contra a Chapecoense, fora de casa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos