Árbitro tira São Paulo do eixo: 'Nem ele sabia o que estava fazendo'

A arbitragem do chileno Patrício Polic não agradou o São Paulo na noite desta quarta-feira, em Medellín, na Colômbia. O pênalti não marcado no fim do primeiro tempo a favor do São Paulo, quando Hudson foi derrubado na grande área, e depois a penalidade marcada a favor do Atlético Nacional, após toque de mão do lateral Carlinhos no fim da partida, tiraram os são-paulinos do sério. Wesley e Diego Lugano foram expulsos por reclamação, assim como José Dileu, auxiliar de Edgardo Bauza.

- Eu não entendi, para você ver como foi a arbitragem, nem ele sabe o que ele fez, me expulsou, mas eu não fiz nada, só fui perguntar o critério de não dar pênalti para nós e dar para eles, horrível. Isso poderia ter sido bom para nós, oportunidade de bater e ter um jogador a mais como eles lá. Não entendi. Não vi o Wesley fazer nada, a arbitragem hoje foi péssima - reclamou Michel Bastos.

O camisa 7 foi um dos primeiros a partir para cima do chileno, após pênalti cobrado por Borja. A reclamação acintosa lhe havia custado uma expulsão, mas Polic se confundiu, retirou o cartão e aplicou a Wesley. Diego Lugano, que bateu palmas após a cobrança, também recebeu vermelho direto. Na saída do gramado, o camisa 5 garantiu que os aplausos foram de apoio ao São Paulo e não ironizando a arbitragem.

Após o fim do primeiro tempo, Hudson já havia reclamado da arbitragem. Aos 47 minutos foi derrubado na grande área, de frente para o gol, e o juiz nada marcou. Centurión chegou a receber cartão amarelo por reclamação depois do lance.

- Não é possível. Eu estava de frente para o gol, absoluto para fazer o gol, e ele me empurrou por trás. Não acredito nisso - disse, no intervalo do jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos