Apenas dois promovidos da Copinha ficaram no Timão. E nunca jogaram

O empréstimo de Maycon à Ponte Preta, anunciado pelo Corinthians na tarde desta quinta-feira representa um sintoma categórico do baixo aproveitamento das revelações das categorias de base do clube na equipe principal. Utilizado em 15 jogos na temporada, sendo 14 por Tite e um por Cristóvão Borges, o garoto de 18 anos foi um dos seis jogadores promovidos ao elenco profissional após o vice-campeonato da Copa São Paulo de Juniores neste ano. Da meia dúzia de nomes, apenas dois integram o elenco seis meses após o torneio, e nenhum destes "sobreviventes" entrou em campo até o momento.

Imediatamente após a Copinha, quatro promessas foram promovidas: o volante Maycon, o meia Matheus Pereira e os atacantes Gabriel Vasconcelos e Claudinho. O primeiro é o que mais foi usado, mas agora acabou repassado à Macaca até o fim da temporada. Claudinho atuou uma vez, por alguns minutos, sob o comando de Tite, mas agora defende o Bragantino. Já Gabriel Vasconcelos foi repassado duas vezes, ao América-RJ e agora ao Joinville, onde disputa a Série B do Brasileirão. Matheus Pereira, por fim, foi vendido ao futebol italiano sem lucro ao Timão e atuará pelo Empoli como ponte até chegar à Juventus.

Outros dois jogadores entre os 25 que representaram o Timão na Copinha também passaram a treinar com os profissionais recentemente, por ocasião dos vários desfalques que tiveram Tite e Cristóvão. O lateral-direito Léo Príncipe, promovido após a saída de Edilson para o Grêmio, e o zagueiro Léo Santos, que subiu por ocasião de lesões de Yago, Vilson e Pedro Henrique, convocações de Balbuena e venda de Felipe, porém, ainda não entraram em campo. E nem há perspectiva para que isso aconteça.

O Corinthians tem um projeto de integração das categorias de base com o profissional, com promessa de maior aproveitamento dos garotos, mas apesar de haver avanços a situação ainda está longe do ideal. O ex-lateral e ídolo corintiano Alessandro ocupava o cargo de coordenador de futebol, e era o responsável por essa transição. Porém, após as saídas de Tite e Edu Gaspar para a Seleção Brasileira, Alessandro foi promovido e sua função ficou vaga.

- A integração vai continuar. Muitas pessoas perguntaram se a saída do Edu e essa demanda maior para mim iria dificultar, mas não vai. A categoria sub-20 está treinando aqui do lado, para a gente trazer essa integração definitivamente. Então nem vai aumentar nem vai dificultar a integração com a minha promoção. O presidente quer manter, já mostramos a ele como queremos fazer, e ele deu o ok. Futebol é um só, não queremos ter essa diferença entre profissional e amador. O amador tem que ser cada vez mais profissional - disse Alessandro, gerente de futebol do Timão, ao L!, recentemente.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos