Paes minimiza riscos na segurança da Olimpíada após ataque na França

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, minimizou o risco de uma ação terrorista durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, um dia após o atentado na cidade de Nice (FRA), na última quinta-feira.

Ele se reuniu nesta sexta-feira por cerca de cinco horas na cidade com secretários, profissionais da área de segurança e o presidente do Comitê Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, para tratar da operação dos Jogos. O encontro que já estava previsto antes do incidente.

Na saída, Paes preferiu não entrar em detalhes sobre o que mudará no plano de combate ao terror, mas mostrou confiança.

- Esta é uma das poucas áreas que eu não tenho interferência nenhuma. Tenho plena confiança nas forças de segurança. Estão há anos se preparando para este evento, e tenho certeza de que a cidade estará muito segura. Não tem foco especial (em segurança). Mas junto com mobilidade, diria que é a principal questão - afirmou Paes.

O prefeito afirmou que o encontro serviu para tratar de detalhes, como asçõs para evitar o fluxo de veículos intenso nas vias em caso de acidente durante os Jogos.

- Se você tem um acidente entre carros dos militares, duas motos da Polícia Rodoviárias Federal, a lei proíbe que aquele policial acidentado saia sem chegar a perícia. Mas temos a preocupação grande com acidentes e que se trave o trânsito porque a perícia não chegou. Todo mundo está apresentando seu plano - afirmou.

No mesmo dia, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, havia dito que a segurança do Brasil para os Jogos será revisada após a tragédia na França.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos