Como '9', Centurión pode ter sucesso no Majestoso. Entenda as razões

  • Julia Chequer/Folhapress

    Com saídas de Calleri e Kardec, Centurión deve ser o centroavante do São Paulo em clássico

    Com saídas de Calleri e Kardec, Centurión deve ser o centroavante do São Paulo em clássico

Não é difícil encontrar torcedores do São Paulo insatisfeitos e já sem paciência com Centurión. A irritação atinge também a insistência de Edgardo Bauza com o camisa 20. Mas, contra todas as previsões negativas que possam existir, há números que podem fazer a torcida confiar no argentino para ser titular contra o Corinthians, às 16h de domingo, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Ricky é o favorito para ser escalado por Patón como centroavante, já que Jonathan Calleri se despediu, Alan Kardec está prestes a ser vendido a clube chinês e o recém-contratado Gilberto não tem condições de iniciar uma partida. Ytalo seria outra opção, mas não tem agradado muito a Bauza pela falta de gols - apenas um em 12 partidas.

Se confirmada a alternativa para o Majestoso na Arena Corinthians, será o sétimo jogo de Centurión como referência do ataque no Tricolor. E os números do gringo na função são convincentes: uma assistência e quatro gols marcados. A última vez no posto foi nas oitavas de final da Copa Libertadores da América, quando anotou dois sobre o Toluca (MEX), nas oitavas de final.

As cinco vezes anteriores como um "falso 9" foram sob comando de Juan Carlos Osorio, em 2015: 1 a 1 e 4 a 0 contra o Vasco, 1 a 0 sobre o Cruzeiro, 3 a 1 sobre o Coritiba e derrota por 2 a 0 para o Sport. O técnico colombiano gostava do trabalho de Ricky como centroavante justamente pelo fato de o argentino não ficar preso na área e confundir os zagueiros.

Soma-se ao histórico favorável o bom desempenho de Centurión no primeiro tempo da partida contra o Atlético Nacional (COL), na última quarta-feira. O camisa 20 se movimentou bastante e ajudou Calleri a marcar a saída de bola rival. Bauza o tirou quando acusava cansaço e lançou o garoto Luiz Araújo.

E para quem passou boa parte do primeiro semestre como titular e sem produzir nada notável, Centurión pode se animar com o primeiro turno do Brasileirão. Foram três assistências na Série A, metade do número do líder na competição, o palmeirense Dudu. Como referência, porém, o plano é quebrar o jejum de 14 jogos sem gols. Quando entrou assim contra o Toluca, Ricky derrubou tabu de quase sete meses sem marcar...

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos