Bauza vê São Paulo a 'um lance de vencer' rival e se anima com reforços

Abalado pela eliminação na semifinal da Copa Libertadores da América e castigado pela maratona de jogos e viagens em 2016, o São Paulo deu resposta satisfatória ao empatar em 1 a 1 com o Corinthians neste domingo. Pelo menos essa é a avaliação de Edgardo Bauza, que viu seus comandados "a um lance" de vencer o rival fora de casa pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro.

- Não fiquei conformado, queria ganhar. Éramos um time cansado por viagens e jogos. E ainda sim respondemos bem. Ficamos a um lance de ganhar a partida. Foi um esforço muito bonito dos jogadores para tentar vencer essa partida difícil como visitante. Isso sim me deixa conformado - valorizou o comandante argentino.

Patón, no entanto, sabe que o Tricolor precisa de muito mais para sonhar com título ou até mesmo vaga no G4 neste Brasileirão. E para que a equipe tenha mais "jerarquia", como gosta de dizer o técnico, a contratação de reforços é urgente, principalmente para o ataque. Ali, saíram Paulo Henrique Ganso, Rogério, Calleri e Alan Kardec e só vieram Ytalo, Gilberto e Cueva.

- Queremos somar dois ou três atletas. Um é mais um centroavante, certamente. Queremos um estrangeiro (o argentino Milton Caraglio, que joga no mexicano Tijuana, é um dos alvos). E aí mais dois que componham a parte ofensiva. Creio que vamos definir nesta semana mesmo. Perdemos Ganso, Calleri, Kardec e Rogério, que fizeram 80% dos nossos gols. Por isso precisamos contratar mais. Há Ytalo agora, que ainda está em um processo de crescimento e aos poucos vai aumentar seu rendimento - analisou o treinador, que chegou a colocar ainda Diego Tardelli, do Shandong Luneng (CHN), na lista.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Bauza:

Os jogadores também gostaram o empate no Majestoso?

Estivemos perto de ganhar. Não sei se eles estavam incomodados com isso (tabu na Arena de quatro jogos e nenhuma vitória), mas sei que se um dia alguém entrar sem vontade de ganhar, vai sair do time.

Quais os planos do clube no Brasileirão?

O primeiro objetivo é o título, obviamente. O segundo é classificar para a Libertadores. Vamos lutar em cada partida, como fizemos hoje (domingo). Agora teremos outro desafio difícil em Porto Alegre e queremos lutar de novo para chegar ao mais alto possível.

Mas como trabalhar a cabeça do grupo para isso após cair na Libertadores?

?Reconheço que fomos a melhor equipe brasileira na Libertadores e ficamos entre os quatro do continente. Pensem o que pensem, gostem ou não, isso é fato. E se o árbitro tivesse sido um pouco mais justo, não sei o que teria sido em Medellin. Analisamos que fizemos um grande sacrifício na Libertadores e que temos uma obrigação ao vestir a camisa do São Paulo. Temos que defender essa história pesada e rica. Os atletas estão buscando isso e quem não se alinha a isso, sabe que vai sair da equipe.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos