Dirigente acusa CBF de 'falta de bom senso' e se diz desapontado com Tite

A iminente saída do preparador físico Fábio Mahseredjian, para a Seleção Brasileira não foi digerida no Corinthians. Nesta quarta-feira, o diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira criticou abertamente a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que não liberou a permanência do profissional no Timão até o fim da temporada e exige que passe a se dedicar integralmente à equipe nacional a partir de agosto.

- Infelizmente faltou bom senso da CBF de (não) permitir que o Fábio terminasse o ano com a gente. Sabemos que é cultura do futebol brasileiro o preparador físico ir para a Seleção na hora da preparação para os jogos. Podiam esperar mais quatro meses, deixar ele terminar o ano com a gente - disse o dirigente, pego de surpresa, em entrevista à Rádio Globo.

Desde a saída de Tite, Mahseredjian passou a dividir seu tempo entre Seleção Brasileira e Corinthians. Agora, se desligará do Timão. Ferreira se mostrou desapontado com o técnico Tite, que ao sair do Parque São Jorge rumo à CBF levou consigo o gerente de futebol Edu Gaspar. Ferreira acredita que, por ter trabalhado no Corinthians, a dupla deveria ter mais consideração com o clube e unido esforços para manter o preparador na equipe até o fim do ano.

- Se eu falar que não, vou estar mentindo, mas faz parte da vida. Todo mundo pensa no seu melhor. Eles poderiam ter tido um pouco mais de carinho, um pensamento melhor. Poderíamos liberar Fábio alguns dias por período os menores, não teria problema - reclamou o dirigente.

A partir do próximo mês, Fabrício Ramos do Prado - que atualmente ocupa a função de auxiliar técnico - será o responsável pela preparação física do Timão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos