Brasil ganha três vagas na Olimpíada após casos de doping na canoagem

A delegação do Brasil para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro ganhou mais representantes nesta terça-feira. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) anunciou a classificação de três atletas da canoagem velocidade: Roberto Maehler, Celso Dias Oliveira Júnior e Vagner Júnior Souta, da classe K4 1.000m.

Eles asseguraram vaga após canoístas de Bielorrússia e Romênia serem suspensos pela Federação Internacional de Canoagem (FIC, na sigla em inglês), por doping, em decisão anunciada no último sábado. A gerente geral de performance esportiva do COB, Adriana Behar, confirmou a informação.

As punições foram sacramentadas por razões distintas. No caso romeno, a FIC encontrou evidências de um esquema de dopagem com meldonium, substância proibida desde 31 de dezembro. As suspensões valem por um período de um ano.

Já na Bielorrússia, cinco atletas foram considerados culpados por violarem a legislação antidoping. Há evidências da utilização de substâncias proibidas durante um camping de treinamento na França.

O quarto integrante do barco dos novos brasileiros classificados, Gilvan Bittencourt, já estava garantido nos Jogos antes do episódio.

Com isso, o Brasil já tem 465 nomes garantidos na Olimpíada. Só o basquete ainda não divulgou os nomes das equipes masculina e feminina. O país terá recorde de atletas nos Jogos do Rio. Antes, a maior havia sido em Pequim-2008, com 277 classificados.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos