Com festa e visita no CT, Fluminense apresenta pacotão de reforços

Festa, reconhecimento a apresentação. Na movimentada quinta-feira do Fluminense, o pacotão de reforços foi apresentando pelo diretor de futebol Jorge Macedo no gramado de um dos campos do futuro Centro de Treinamentos da equipe, que deve ficar disponível em setembro/outubro.

Dois deles são caras conhecidas do Tricolor. Um deles é Wellington Silva, que foi revelado em Xerém e acabou vendido para o Arsenal no começo de uma carreira que prometia muito. Mas que não deslanchou. Até por isso, a intenção do atacante é de conseguir dar a volta por cima no clube das Laranjeiras:

- Seis anos lá. Volto muito maduro e quero escrever uma nova história no Fluminense. Passei por muita coisa no Arsenal e na Espanha. Agora, treinando, espero ter mais oportunidades de mostrar meu futebol - disse o atacante.

Outro nome conhecido pela torcida é o de Marquinho, meia que jogou pelo Fluminense até 2009 e que ficou marcado pelo gol decisivo no Couto Pereira, que evitou o rebaixamento do Fluminense naquele ano. Com experiência na Roma e no futebol árabe, o meia destacou que pode vir a ajudar as novas revelações que tem aparecido no elenco principal:

- Volto ainda mais experiente. Consegui jogar em grandes clubes fora do país. Tudo que eu consegui aprender com eles... foi uma coisa muito importante. Sempre busquei o crescimento na minha carreira. Voltando hoje pelo Flu, com os meninos passando pelo que eu passei, eu acho que posso dar alguns toques, e dentro de campo é aquela vontade de vencer de sempre.

O terceiro jogador que conversou com a imprensa foi o meia Danilinho, que teve passagem marcante pelo Atlético-MG, onde trabalhou com o técnico Levir Culpi. Ele comentou sobre esta relação e enalteceu o técnico:

- É um privilégio poder vir trabalhar com ele. Rever ele, pois trabalhamos juntos no Atlético-MG. Minha relação é muito boa com ele. Espero poder ir bem para ajudar meus companheiros no Fluminense - destacou o jogador.

Menos conhecidos dos nomes apresentados, o paraguaio Rojas demonstrou certa timidez. Mas, mesmo assim, ele conversou com a imprensa e destacou o sonho que é poder vir atuar no futebol brasileiro:

- É um sonho cumprido vir jogar no Brasil, ainda mais em um grande como o Fluminense. Espero ir bem dentro de campo. Sou um jogador de drible, rápido e que busco deixar tudo dentro de campo, para ajudar a equipe - completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos