Copa UPP 2016 chega na reta final e mostra que projeto dá frutos sociais

Às vésperas das semifinais da edição deste ano, a Copa UPP tem mostrado que pode mudar a vida de muitas pessoas. O torneio, que começou em 2015 e reúne 35 equipes de comunidades com Unidade Polícia Pacificadora, apareceu como uma oportunidade especial para policiais e moradores investirem no seu futuro. Na ocasião, todos os atletas da equipe que se sagrou campeã ga­nharam um tablet e bolsas de curso técnico a distância da Universidade Estácio de Sá, parceira do projeto.

Um dos que tiveram a vida transformada pelo projeto foi Marcos Phellipee Gomes. Desde jovem ele sonhava em ser jogador de futebol profissional e, mesmo com o passar dos anos, nunca desistiu. Marcos passou por testes em diversos clubes amadores até que em 2015, aos 24 anos, viu na Copa UPP a sua grande chance. O atacante do Complexo da Mangueirinha, em Duque de Caxias e uma das semifinalistas desta edição, foi o artilheiro da competição anterior, com 14 gols, e garantiu o título à sua comunidade.

- Tive a oportunidade de realizar um sonho de infância, que é jogar futebol profissionalmente (ele passou pelo São Raimundo após a Copa UPP de 2015), e ainda ganhar uma bolsa integral para fazer faculdade - disse Phellipee.

Setentão 'fominha'

A Copa UPP 2015 também serviu para mostrar que, quando se tem oportunidade, a idade não faz diferença. Luiz Andrade, de 74 anos e morador do Complexo do Andaraí, fez questão de participar do torneio e destacou a integração que esta trouxe à comunidade.

- Quem me conhece sabe que sou fominha. Estava doido pra entrar. Entendo que o jogo estava corrido, com muita marcação, mas eu queria muito estar em campo. Jogo regularmente três vezes por semana desde os 12 anos e esta Copa está servindo para integrar ainda mais os moradores com os policias que tomam conta da gente. Muito bacana - conta.

Torneio e premiação

A partir de agora, a competição conta apenas com quatro comunidades, que jogarão a fase semifinal neste sábado, no Estádio do São Cristóvão Futebol e Regatas.

Os 90 integrantes das três primeiras equipes da competição receberão bolsas de ensino à distância. Também serão sorteadas seis bolsas de graduação e/ou pós-graduação presencial na Universidade Estácio de Sá entre as três equipes mais bem colocadas.

Confrontos das semifinais deste ano:

- Mangueirinha x Vidigal

- Vila Kennedy x São Carlos

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos