Presidente do Santos justifica comissão milionária por Geuvânio

  • Alexandre Vidal/Divulgação

    Geuvânio foi negociado com o Tianjn Quanjian, da China, no começo deste ano

    Geuvânio foi negociado com o Tianjn Quanjian, da China, no começo deste ano

O presidente do Santos, Modesto Roma Júnior, deu explicações ao Conselho Deliberativo na última quinta-feira a respeito da comissão de R$ 2.942.214,00 paga a intermediários após a venda do atacante Geuvânio par ao Tianjin Quanjian, da China, em janeiro.

Após ser cobrado por conselheiros, o dirigente se justificou alegando que, conforme regras da Fifa, o clube beneficiário deve pagar 6% do valor total da negociação.

- O Santos pagou 660 mil euros, 6% do valor. Pagou porque, no regulamento da Fifa, é beneficiário do valor. Quando prestou contas com a empresa IGG, foi descontado esse valor. Eles repassaram ao Santos 9% do valor. No caso da Doyen, também foi feito depósito judicial - afirmou Modesto.

Geuvânio foi vendido por R$ 48 milhões (11 milhões de euros). O Peixe, detentor de 35% dos direitos do jogador, ficou com 35% do valor mais 9% dados pela empresa IGG, que tinha outros 30% do ex-camisa 11.

A empresa que recebeu a comissão é a Lets Goal. A maior contestação do Conselho Fiscal foi que, na reunião que selou a venda do jogador, não havia membros da empresa de acordo com um dos membros do órgão do Conselho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos