Camilo volta à Arena Condá e mostra os atalhos para a vitória do Botafogo

O Botafogo contratou Camilo para comandar o meio de campo a partir do segundo semestre deste ano. Mas o clube já desejava o meia desde o ano passado, quando ele estava na Chapecoense. Foram duas temporadas na equipe catarinense. Anos que projetaram o atual camisa 10 do Glorioso para o mercado. Agora, ele volta à Arena Condá, mas como adversário. Neste domingo, a missão dele é fazer continuar funcionando a equipe alvinegra, que luta para se afastar da zona de rebaixamento do Brasileiro.

 

- Tenho um sentimento de gratidão pela Chapecoense. Em dois anos, fiz grandes jogos, fui o primeiro jogador da equipe a ter feito gol em jogo sul-americano. Sei que é difícil jogar lá, precisamos errar o mínimo possível - disse o meia.

 

Nas temporadas 2014 e 2015, Camilo disputou 66 jogos, marcou nove gols e participou de outros momentos importantes da equipe rival do Botafogo amanhã. Por ser a Chapecoense um clube relativamente jovem (fundado em 1973, mas com forte ascensão nos últimos anos), o meio de campo, agora, do Glorioso está na história da equipe.

 

A atmosfera da casa do adversário deste domingo é tão favorável à dona da casa que o meia alvinegro não hesita em contar alguns dos segredos de sua ex-equipe. Ele reforça a necessidade de não haver erros.

 

- O campo é bom. Os jogadores se conhecem muito bem e têm uma proximidade com a torcida muito grande. Valorizam muito o início e aproveitam os lados do campo. Temos que ir muito conscientes e temos que procurar errar o mínimo possível para sairmos com a vitória - acredita o jogador do Botafogo.

 

Por ter o carinho dos torcedores da Chapecoense, é provável que a recepção seja positiva a Camilo, amanhã. Mas o atleta, certamente, quer fazer com que o time de General Severiano ultrapasse o time da casa.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos