Para afastar pressão, Santos busca entrosamento 'na base da conversa'

Desde o início do Brasileirão, em que o técnico Dorival Júnior buscava a formação ideal para o time, o Santos não vivia dias tão tensos como nesta semana e na próxima. Ao mesmo tempo em que o objetivo é entrosar os novos titulares (Caju, Yuri e Copete) o quanto antes, o Peixe tem dois jogos importantes pela frente.

Para ficar no G4 do Brasileirão sem depender dos concorrentes na tabela, o Alvinegro precisa vencer o Vitória, domingo, no Barradão, às 18h30. Caso contrário, tem que torcer contra Atlético-PR e Flamengo.

Já na quarta, só a vitória sobre o Gama leva o Santos às oitavas de final da competição que trata como prioridade.

- A gente sabe que no início também tem a pressão de começar bem, de não perder os pontos. É importante porque sabemos que depois faz diferença. Agora começa outra etapa. Jogadores que vão para a Seleção e você perde o entrosamento ideal. Na Copa do Brasil a equipe teve oportunidade para vencer. Tem o jogo de volta e a obrigação, em casa, é passar. Sempre respeitando a equipe do Gama, que vem para jogar no nosso erro - comentou o volante Renato, o mais experiente do elenco.

Para recuperar o entrosamento que o time tinha com Zeca, Thiago Maia e Gabigol, que estão na Olimpíada, a principal ferramenta tem sido a conversa, já que os treinos são cada vez mais curtos para não desgastar ainda mais os jogadores.

- É na conversa. Falamos bastante. Cada um tem que se entender e saber o momento certo de sair, cobrir o outro. O Dorival é até feliz quando treina as duas equipes e a reserva presta atenção na titular. Isso ajuda bastante quem vai entrar. e na parte de entrosamento é sempre na conversa. A gente vem conversando no dia a dia - concluiu o camisa 8.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos