Após a primeira derrota no Allianz Parque, Cuca evita culpar desfalques

Sem Moisés e Mina, machucados, além de Fernando Prass e Gabriel Jesus na Seleção olímpica, Cuca evitou colocar a culpa nos desfalques pela derrota do Palmeiras para o Atlético-MG no Allianz Parque. Após perder seu primeiro jogo como mandante, o técnico preferiu elogiar o adversário em vez de lamentar por não ter o camisa 33, artilheiro do Brasileiro com dez gols.

- Não vou falar (da ausência de Gabriel Jesus), porque podemos ser mal interpretados, a gente fala uma coisa e o diretor acha que estamos falando uma coisa que é contraditória. Hoje tentamos repetir a maneira de jogar com o Gabriel. Não tivemos ele contra o Santos e hoje. Vamos trabalhar para encontrar a melhor formação - afirmou o treinador.

Ainda líder do Brasileiro, o Palmeiras nas últimas duas rodadas em casa fez apenas um ponto (1 a 1 com o Santos e 1 a 0 para o Atlético-MG), e fora venceu os últimos dois jogos (3 a 1 no Sport e 1 a 0 no Inter). Mudou alguma coisa?

- Há pouco menos de um mês tinha que responder que o Palmeiras jogando fora tinha pontuação de Z4 e em casa era 100%. As coisas mudam. Encontramos uma forma de jogar fora, e em casa tivemos dois jogos difíceis, porque o Santos e o Atlético-MG são iguais a nós. Hoje, o Atlético veio com postura de marcação forte, uma bola parada, uma chance... foram duas chances, não lembro de uma terceira. Em um clássico, é assim. Como foi com o Santos, com o Corinthians. Eles tiveram duas chances e fizeram o gol. Nós tivemos umas quatro. Se você faz 1 a 0, ganha o jogo - analisou o técnico.

- Não é que o Palmeiras piorou, o adversário tem o mesmo potencial seu, na proposta deles foram muito felizes. Tentamos sem o centroavante para ter uma bola rápida, não conseguimos, depois tentamos com um centroavante. Hoje não deu, parabéns ao Atlético - encerrou.

Até este jogo, Cuca estava invicto no Allianz Parque: eram oito vitórias e um empate, mas a sequência foi quebrada na manhã deste domingo. Apesar do resultado, o Verdão segue líder do Brasileiro com dois pontos de vantagem para o vice-líder Corinthians, e o técnico avisa: é preciso saber perder também.

- Na proposta o Atlético foi muito feliz, marcou muito, nas duas chances que teve marcou o gol. Não nos deu grandes oportunidades. Tivemos chances mais claras que o Atlético, mas não muda. Quem dera pudesse disparar, mas os times são muito similares. Compara o Atlético e o Palmeiras não se vê diferença, com o Santos, Corinthians, Flamengo, Grêmio... vai ser uma luta até o final - completou o comandante.

O Verdão recebe folga na segunda-feira e se reapresenta na terça. O próximo está marcado para a segunda que vem, contra o Botafogo, no Rio de Janeiro. A partida pode ser antecipada, por conta do projeto de segurança da cidade, que já estará voltado para a Olimpíada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos