'A decisão do COI sobre a Rússia é frágil e deixa buracos'

Coluna publicada na edição desta segunda-feira do LANCE!

Qualquer que fosse a postura tomada pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) sobre a permanência ou não da Rússia nos Jogos Olímpicos Rio-2016, o resultado geraria controvérsia. Se o país fosse excluído do evento, os atletas russos considerados "limpos" reclamariam. Se o país não fosse banido, a chiadeira viria principalmente de outros países.

O que o COI tentou fazer em sua decisão anunciada ontem foi encontrar um meio termo, ao proibir qualquer competidor russo com histórico de doping na carreira de disputar a Rio-2016, mesmo que já tenha cumprido sua pena. No fim das contas, a Rússia celebrou a decisão, e a comunidade internacional de combate ao doping considerou isso uma "bagunça confusa", como declarou Travis Tygart, chefe da Agência Americana Antidoping (Usada), e responsável por banir o ex-ciclista Lance Armstrong do esporte.

Por um lado, o COI não tinha tempo para julgar o caso, e precisou tomar uma decisão rápida. Isto foi determinante na solução encontrada, e não se pode ignorar tal fator, já que a Olimpíada começará daqui 11 dias - embora tenha faltado pulso firme para o COI, ao passar para as federações internacionais a decisão final em cada esporte sobre a situação.

Mas, por outro lado, o resultado é frágil e deixa buracos. Certamente, diversos atletas russos ganharão medalhas no Rio de Janeiro. Você vai acreditar na lisura daquele competidor?

Para infelicidade dos atletas russos considerados "limpos", o caso acabou manchando todo o esporte do país. É aquela velha história de todos pagarem pela falha que poucos cometeram. Distinguir atualmente um competidor honesto de um trapaceiro na Rússia é algo complicado, já que nem mesmo o sistema de controle antidoping é capaz de determinar isso, ao se levar em conta que exames positivos eram substituídos.

Diante disso, é de se imaginar que a delegação russa sofrerá algum tipo de hostilidade no Rio de Janeiro. No mínimo, um olhar meio desconfiado de adversários. Isso se não vierem sonoras vaias das arquibancadas brasileiras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos