Dirigente de clube morre um dia após minuto de silêncio 'por antecipação'

A gafe folclórica cometida pelo Jabaquara no fim de semana ganhou um desdobramento curiosíssimo. Dias após ser homenageado, mesmo vivo, com um minuto de silêncio por sua morte, o presidente do clube, Antônio Gilberto Amaral da Silva morreu na madrugada de segunda para terça-feira.

O episódio folclórico ocorreu no início da partida em que o Jabaquara derrotou o Grêmio Prudente por 3 a 2, pela Série A2 do Paulistão. O falecimento do dirigente aconteceu após a terceira cirurgia pela qual ele teve de passar, devido a complicações causadas por uma operação para corrigir problemas na coluna.

Antônio tinha 70 anos, e estava na UTI da Santa Casa de Misericórdia de Santos desde domingo.

O ex-dirigente estava à frente do Jabaquara desde setembro de 2015, quando substituiu Manoel Rodriguez Gonzales, que morreu em virtude de um câncer, em setembro de 2015

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos