Gilvan: 'Prefiro que a torcida do Cruzeiro xingue o presidente em vez de xingar o atleta'

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, foi polêmico ao falar sobre as vaias que a equipe vem recebendo durante as partidas no Brasileirão. Durante a apresentação do novo treinador, Mano Menezes, o dirigente atribuiu as ofensas às organizadas, e fez um curioso apelo:

- Prefiro que a torcida xingue o presidente em vez de xingar o atleta. O presidente faz falta no estafe, mas dentro de campo quem rende é o jogador. Sobre a torcida do Cruzeiro, existe algo que está acontecendo entre organizadas. Com relação ao torcedor comum, o apoio é muito grande. Eu também sou torcedor do Cruzeiro e estou contrariado pelos resultados que não estão vindo.

Gilvan definiu a demissão de Paulo Bento como uma medida drástica diante da má fase da equipe. A Raposa amarga a penúltima colocação no Brasileirão:

- Sou uma pessoa otimista. Nunca vou chegar diante de vocês e falar que não acredito no trabalho do treinador. Fomos buscar um técnico vitorioso no Sporting e que treinou a Seleção Portuguesa. Portugal é um país formador de grandes treinadores. Tínhamos tudo para acreditar no trabalho dele, tanto que fizemos contrato longo. Mas, se o trabalho não surte o efeito, é preciso tomar providência. Precisamos tomar essa medida antes que a casa caia.

O empréstimo de Allano ao Bahia foi atribuído também à maneira como o atleta era mal recebido pelos torcedores, inclusive ao ser lançado por Bento:

- Ele não conseguiria continuar jogando no Cruzeiro mesmo com a boa vontade do treinador. Ele era vaiado antes de começar a partida. Quando entrou, as vaias aumentaram. Mesmo assim, o Allano entrou, teve comportamento digno e não se intimidou. Só que nessa situação ele não conseguiria jogar no Cruzeiro. Por outro clube, ele poderá desenvolver melhor seu futebol.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos