Com mais de 80 atletas e longe da agitação, Seleção de judô faz ajustes finais para a Rio-2016

A agitação da Vila da Olímpica dos Jogos Olímpicos ainda passa longe da Seleção Brasileira de judô. Com uma semana para o início da Olimpíada do Rio de Janeiro, os atletas seguem concentrados em um hotel em Mangaratiba, a cerca de 97km da capital carioca. Um lugar pacato, em que é difícil até encontrar um sinal para fazer ligações com o celular. Mas um local pronto para deixar os atletas concentrados e bem preparados para buscar uma medalha.

Em parceria com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a Confederação Brasileira de Judô criou uma grande estrutura para a preparação dos judocas. São três tatames, todos com placares para a simulação de lutas, uma sala de musculação com equipamentos apropriados para a modalidade, salas para tratamento médico, fisioterapia, conversas com a psicóloga, reuniões...

- É a melhor preparação da história? Sim. Mas não apenas por conta do investimento. Mas por tudo o que foi montado para os atletas - resumiu o coordenador da Seleção, Ney Wilson.

A ideia da CBJ era encontrar um local afastado para deixar os atletas focados somente na competição. Um primeiro teste no local foi feito no ano passado, antes dos Jogos Pan-Americanos de Toronto (CAN). A estadia serviu para testar o local e preparar as modificações para a Rio-2016.

Além dos 14 judocas convocados para os Jogos Olímpicos e toda a comissão técnica, o trabalho em Mangaratiba conta com a participação de outros 70 atletas. Todos servem como sparring dos titulares. São de quatro a cinco "ajudantes" por competidor, destros e canhotos, todos prontos para simular qualquer situação de luta. Dentro da concentração, eles assistem à vídeos dos possíveis rivais para isso.

O material de imagem, aliás, tem sido tratado com muito cuidado. Segundo a CBJ, 99% dos possíveis adversários dos brasileiros nos Jogos Olímpicos já foram mapeados. E o trabalho vai durar durante toda a Olimpíada.

Mas nem tudo é trabalho e treino. Os judocas também possuem um espaço para convivência e diversão, com mesas de tênis de mesa, jogos de tabuleiro e até um vídeo game. Mas tudo tem um horário para acabar. Por decisão dos próprios competidores, os homens vão para os quartos às 22h e as mulheres às 22h30. Tudo para manter o foco em um local a 97km de distância: o Rio de Janeiro e os Jogos Olímpicos.

Vale lembrar que os judocas também vão para a Vila Olímpica antes das competições. Os atletas entrarão no local dois dias antes de suas lutas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos