Cueva brilha contra a Chapecoense e salva o São Paulo de derrota em casa

Com apenas três anos na elite do Campeonato Brasileiro, a Chapecoense poderia ser apenas mais um time na lista de vítimas do São Paulo no Morumbi. O time catarinense, no entanto, sempre parece à vontade no estádio tricolor. Tanto é que, em sua terceira visita, esteve muito perto de vencer pela segunda vez, mas esbarrou em

Para mostrar que a estatística não era barata, o Verdão do Oeste precisou somente de cinco minutos para abrir o placar. O cruzamento de Martinuccio e o gol de cabeça de Kempes eram um sinal das jornadas ruins de Maicon e Carlinhos, que erraram no lance. O zagueiro foi além e, aos 12 minutos, cochilou para deixar William Thiego ampliar.

Os 54.996 torcedores que lotaram o Morumbi mantiveram a calma, a princípio. Mas a improdutividade do time impulsionou vaias e xingamentos. Não havia toque de bola rápido ou penetração na área. O jogo se resumia a cruzamentos insistentes para que Centurión, um leão mesmo prestes a deixar o clube, lutar sozinho entre os defensores.

Como dificilmente faz, Edgardo Bauza decidiu mexer na equipe. A emergência tirou Thiago Mendes de campo e promoveu a estreia de Andres Chavez. O ataque ganhou mais peso e compensou a exposição da defesa, principalmente quando Luiz Araújo foi acionado para delírio da torcida. No lance seguinte, aos 16 minutos da etapa final, o prejuízo estava reduzido.

Centurión fez grande jogada individual e rolou para dar sua quarta assistência no ano - como centroavante, tem três passes e quatro gols, em sete partidas. Cueva usou a canhota para finalizar e anotar seu segundo gol pelo Tricolor. A pressão aumentou e o goleiro Danilo passou a trabalhar além das saídas para cortar cruzamentos. A melhora e entrega são-paulina eram nítidas.

Para sair do Morumbi pontuando, porém, era preciso errar menos, como Denis faria em dois milagres nos acréscimos. Ou torcer para a Chape errar. Aos 40 minutos, Gil colocou a mão na bola dentro da área e deu toda chance do mundo para Cueva salvar uma derrota dada como certa. O peruano não decepcionou e cobrou o pênalti com categoria para empatar, mas não poderá estar em campo na quinta-feira, suspenso. O Tricolor terá mais uma decisão para chegar ao G4: às 19h30, o rival será o Atlético-MG, de novo no Morumbi.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 2 X 2 CHAPECOENSE

Data/hora: 31/7/2026 - 11h

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)

Árbitro: Wagner Nascimento Magalhães (RJ)

Assistentes: Rodrigo Correa e Luiz Regazone (ambos do RJ)

Renda e público: 54.996 presentes / R$ 1.290.275,00

Cartões amarelos: Bruno, Cueva, Chavez e Hudson (SAO)

Gols: Kempes, 5'/1T (0-1); Willian Thiego, 10'/1T (0-2); Cueva, 16'/2T (1-2); Cueva, 40'/2T (2-2)

SÃO PAULO: Denis, Bruno, Lugano, Maicon e Carlinhos (Luiz Araújo, 15'/2T); Hudson, Thiago Mendes (Chavez, intervalo), Kelvin (Pedro, 34'/2T), Cueva e Michel Bastos; Centurión. Técnico: Edgardo Bauza.

CHAPECOENSE: Danilo, Gimenez (Matheus Biteco, 21'/2T), Willian Thiego, Felipe Machado e Dener; Josimar, Cleber Santana, Gil e Martinuccio (Thiaguinho, intervalo); Hyoran e Kempes (Bruno Rangel, 28'/2T). Técnico: Caio Júnior.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos