Vestiário da Seleção teve discurso de Neymar e emoção por corte de Prass

A Seleção Brasileira não conseguiu curtir a vitória sobre o Japão no último sábado. A alegria dos jogadores e membros da comissão técnica na saída do gramado deu lugar à tristeza na chegada ao vestiário, quando foram informados da situação de Fernando Prass.

 

Assustados com o inchaço no cotovelo direito do goleiro e avisados de que ele muito provavelmente não conseguiria disputar a Olimpíada, os atletas tiveram reações diferentes. Alguns se calaram, outros tentaram apoiar o veterano de 38 anos. Coube a Neymar, capitão da equipe, falar a todos.

 

O elenco formou uma roda e o camisa 10 pediu a palavra, como habitual após os jogos. No discurso, tentou não só consolar o palmeirense como também motivar os demais, falando em jogar não só pelo ouro olímpico, mas também pelo goleiro.

O atacante passou por situação parecida em 2014, mas em outro papel. Ele se machucou nas quartas de final da Copa do Mundo e acabou cortado.

 

Durante a fala de Neymar, alguns se emocionaram. Um deles foi o técnico Rogerio Micale, que ficou com os olhos marejados. Minutos depois, ainda abalado, tentou recuperar forças e foi conceder entrevista coletiva, na qual não quis dar detalhes sobre o que ocorreu com o goleiro.

 

Em duas semanas de convivência com o grupo da Seleção, Prass ganhou o respeito e a simpatia de muitos. O volante Thiago Maia, por exemplo, comentou aos jornalistas que se surpreendeu positivamente com o camisa 1. O mesmo ocorreu com outros atletas e funcionários.

 

Tentando se recuperar da baixa do líder e jogador mais velho do elenco (Prass tem 38 anos), a Seleção viaja para Brasília na noite deste domingo. O Brasil estreia na Olimpíada na quinta-feira, contra a África do Sul, no Estádio Mané Garrincha.

 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos