Cristóvão "seca" negociação de Bruno Henrique: "Tomara que dê tudo errado"

Do LancePress!

  • Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

    Cristóvão Borges ainda espera um reforço no ataque para o restante da temporada

    Cristóvão Borges ainda espera um reforço no ataque para o restante da temporada

A possibilidade de perder um de seus principais jogadores no Campeonato Brasileiro tem incomodado o técnico do Corinthians, Cristóvão Borges.

Ciente do interesse do Torino, da Itália, pela contratação do volante Bruno Henrique, como revelou o jornal LANCE! nesta terça-feira (02), o comandante da equipe alvinegra disse que está na torcida para que o camisa 25 recuse a proposta e permaneça no elenco até o fim do Campeonato Brasileiro. 

No último domingo, o time de Cristóvão Borges chegou à liderança ao bater o Internacional por 1 a 0 e ver o rival Palmeiras ser derrotado pelo Botafogo e perder a condição de primeiro colocado.

"Desde o começo do ano tem sido complicado. Sempre há chance de sair jogador daqui. O Corinthians foi se desfazendo, mas tem capacidade de se reestruturar. É uma coisa que preocupa (a saída). Não teve nada oficial, mas existe interesse, disso sabemos. Então a diretoria vai tratar bem disso, tomara que dê tudo errado (risos)", brincou o treinador.

O Torino está disposto a pagar o valor da multa rescisória para contar com Bruno Henrique, que seria 4 milhões de euros (R$ 14,5 milhões).

Detentor de apenas 25% dos direitos econômicos e sem poder de barganha, o Corinthians não tem o que fazer se Bruno Henrique aceitar a oferta, e receberia 1 milhão de euros (R$ 3,6 milhões) pela negociação de seu titular.

Os italianos têm até 31 de agosto, quando fecha a janela de contratações na Europa, para efetivar a compra de Bruno Henrique. O clube de Parque São Jorge tenta ganhar tempo para convencer o atleta e seus representantes de que o melhor negócio é permanecer no Brasil.

Enquanto administra a possibilidade de perder um volante titular, Cristóvão banca a chegada de um novo reforço para o segundo semestre, mas no ataque. O treinador disse que há um acordo entre comissão técnica e diretoria em torno de um nome para compor o setor ofensivo.

Sem poder contratar um jogador de fora do Brasil e também sem Alexandre Pato, que foi negociado com o Villarreal (ESP), o Corinthians deve apostar em uma contratação modesta para o ataque.

"Espero e vou ter reforços. Estamos trabalhando com isso, pesquisando para fazer uma contratação. Não temos grandes possibilidades, porque se há possibilidade forte econômica há melhor chance, mas não é nosso caso. Então estamos pesquisando bem dentro daquilo que podemos. Está acordado com a direção (a necessidade de reforços)", disse Cristóvão, que não confirmou interesse no atacante Gustavo, artilheiro da Série B do Brasileirão pelo Criciúma.

"Estamos garimpando, todo mundo trabalhando muito por isso. Quem tem mais possibilidade de investimento aumenta o universo, e quem não tem, pesquisa mais. Nós precisamos ter um grupo maior para poder administrar. A temporada exige que você tenha fôlego, um grupo em que possa trocar para poder cuidar melhor dos jogadores sem isso interferir na performance. A ideia é essa, e por isso precisamos e vamos fazer. Ainda há tempo para isso", completou. 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos