Greve da Polícia Civil pode prejudicar segurança em estreia da Seleção

Cerca de 4 mil agentes da Polícia Civil do Distrito Federal entraram em greve nesta quinta-feira, ato que pode prejudicar a segurança da estreia da Seleção na Olimpíada. O Brasil enfrenta a África do Sul às 16h, no Mané Garrincha.

Estava previsto que cerca de 800 oficiais trabalhariam na escolta de delegações até o estádio e também no entorno do local da competição. Contudo, a paralisação foi decretada na noite da última quarta-feira irá durar 48 horas segundo o Sinpol-DF (Sindicato dos Policiais Civis).

Ainda na madrugada, a Justiça decretou ilegal a greve, em atendimento a uma ação do Núcleo de Controle da Atividade Policial (NCAP) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A multa diária por descumprimento dessa decisão é de R$200 mil. Mesmo assim, os policiais prometeram manter a paralisação.

Ainda de acordo com a Justiça, fica proibida qualquer manifestação no perímetro do Mané Garrincha, sob pena de pagamento de multa de R$ 500 mil.

Segundo o diário "Correio Braziliense", o desembargador Sebastião Coelho fez a seguinte observação em sua decisão: "Não é possível que a segurança da população do Distrito Federal e de todos aqueles que a está capital se dirigem para assistir aos jogos seja utilizada como moeda de troca nessa negociação".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos