América-MG é mais um clube a protestar contra árbitro Heber Roberto Lopes

O gol irregular sofrido nos acréscimos do empate em 1 a 1 com o Sport, na noite desta quarta-feira, despertou o descontentamento dos dirigentes do América-MG. O clube anunciou nesta quinta-feira que vai fazer um protesto formal na CBF contra o árbitro Heber Roberto Lopes e os auxiliares da partida.

Anderson Racilan, membro do conselho deliberativo do Coelho e um dos presidentes do clube, falou em nome de toda a direção e classificou a arbitragem do paranaense como "vergonhosa". Ele também pediu o banimento de Heber do futebol.

"É uma vergonha o que foi feito com o América aqui. O América não vai deixar barato. Já estamos separando os lances do jogo e, em especial, do gol. Na sexta-feira, vamos à CBF para tomar providências. O América não vai permitir que façam o que estão fazendo. Profissionais com esses devem ser banidos do futebol", disse Racilan.

Ele também alfinetou a CBF e disse que o América só será rebaixado para a Série B se a instituição não fizer nada para elevar o nível da arbitragem. Ele também aproveitou a oportunidade para reclamar da arbitragem do jogo contra o Flamengo. De acordo com o dirigente, o pênalti marcado a favor do clube carioca foi inexistente e o então árbitro da partida, Rodrigo Batista Raposo, fez vista grossa a um lance semelhante para o América.

"O América não vai cair, desde que a arbitragem da CBF permita. Se não tiver os problemas que tivemos contra o Flamengo e hoje [ontem], aqui, com certeza não iremos cair. Provamos que temos um time digno, competitivo. Encaramos o Sport, que vinha de uma sequência de vitórias. Conseguimos ganhar deles aqui, estamos saindo de cabeça erguida, vitoriosos. Vamos conversar com o Del Nero para mostrar o que estão fazendo com o América. Não vamos permitir que continuem fazendo isso. Vamos fazer e tudo para que o América possa se manter na Série A com dignidade", afirmou.

Outras polêmicas

Esta não é a primeira polêmica que Heber Roberto Lopes acumula neste Campeonato Brasileiro. Há pouco mais de um mês, o árbitro não marcou uma dura entrada de Fagner, do Corinthians, em Ederson, do Flamengo. O lance machucou o meia rubro-negro, que teve que ser substituído. Heber ainda expulsou o treinador do Flamengo, Zé Ricardo, o que fez a diretoria rubro negra reclamar publicamente dele junto à CBF.

A dura falta de Fagner fará com que Héber Roberto Lopes seja julgado pelo STJD e responda pelos artigos 259 (deixar de observar as regras da modalidade) e 266 (deixar de relatar as ocorrências disciplinares da partida, prova ou equivalente, ou fazê-lo de modo a impossibilitar ou dificultar punição de infratores, deturpar os fatos ocorridos ou fazer constar fato que não tenha presenciado) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O lateral Fagner também será julgado. Ele está enquadrado no artigo 254 (praticar jogada violenta).

O julgamento estava previsto para ocorrer nesta quarta-feira, data do jogo entre Sport e América-MG, mas, a pedido da diretoria do Corinthians, foi adiado para a próxima quarta-feira, dia 10.

Heber também foi muito criticado quando apitou a final da Copa América Centenário, em junho. O árbitro mostrou um rigor excessivo e expulsou dois jogadores na decisão entre Argentina e Chile.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos