Técnico do Arsenal admite medo da aposentadoria e procura Ferguson

  • Carl Recine/Reuters

    Wenger diz não entender como Ferguson não sente falta da vida de técnico

    Wenger diz não entender como Ferguson não sente falta da vida de técnico

Aos 66 anos, o técnico Arsène Wenger sabe que está cada dia mais próximo do momento mais difícil da carreira: o adeus à profissão. Nesta segunda-feira (8), em entrevista ao jornal "The Guardian", o treinador do Arsenal admitiu que não está preparado para o momento.

"Tenho medo. Quanto mais espero, mais tenho medo e mais complicado é lidar com essa situação", admitiiu o francês.

Para tentar se acostumar com a ideia, Wenger procurou Alex Ferguson, que se aposentou em 2013, após 39 anos nos bancos de reservas, 27 deles no Manchester United.

"Perguntei se ele sentia falta e ele respondeu: 'Nem um pouco'. Não consigo compreender, depois de uma vida aguardando o próximo jogo", revelou o treinador da equipe londrina.

Wenger está no Arsenal desde 1996. Pelo time, ele conquistou três vezes o Campeonato Inglês, seis vezes a Copa da Inglaterra e seis vezes a Supercopa da Inglaterra.

A imprensa inglesa costuma afirmar que a reformulação do Arsenal passa pela saída de Wenger. A equipe da capital do país está há 12 anos sem conquistar a Premier League.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos