Marlone se diz surpreso com apoio da torcida no Corinthians: 'Impactante'

Pedido frequente da torcida do Corinthians nos jogos do Campeonato Brasileiro, o meia Marlone sentiu novamente o apelo da torcida por seu nome durante o empate com o Cruzeiro, no Pacaembu, nesta segunda-feira. Depois de entrar bem na equipe, o camisa 8 se mostrou muito emocionado com o carinho da Fiel e aproveitou para negar que esteve insatisfeito em algum momento com sua condição de suplente no time do técnico Cristóvão Borges.

"Geralmente a torcida grita nome de ídolos, de quem ganhou títulos no clube, quem fez história. E eu que não sou nada, né? Cheguei esse ano... Ver a torcida gritar meu nome é algo muito impactante para mim. Algo assim que eu fiquei impressionado. Não tenho nem palavras. Nunca fui campeão aqui, não tenho história no clube. Poxa, a potência que é o Corinthians e a torcida, que é a maior do Brasil, gritar teu nome no estádio... Eu fico sem palavras", disse Marlone, logo após o segundo duelo consecutivo em que foi acionado por Cristóvão Borges.

Para o camisa 8, tudo é uma questão de ''esperar o tempo'' certo para, enfim, engatar uma sequência como titular do Corinthians. Sereno, falou em dias ''bons e ruins'' para justificar o que se passa com ele no Timão.

"Tudo tem um tempo para acontecer as coisas. Só estou crescendo, evoluindo como homem, profissional, atleta, amigo. Trabalhando pela oportunidade para as coisas acontecerem. Aqui na Terra há dias bons e ruins. Acho que é opção do treinador. Todo treinador tem uma visão e eu respeito. Mas em nenhum desses momentos, e já estou há oito meses no clube, eu deixei de ser profissional, de trabalhar. Vocês estão todos os dias no clube (jornalistas) e acompanham. Não deixei a peteca cair. Pelo contrário, sempre fui feliz no Corinthians", completou.

Embora não esteja insatisfeito, Marlone tomou conhecimento dos rumores de um possível empréstimo para outros clubes, já que despertou o interesse no mercado nacional. Quando os rumores aumentaram, tratou de conversar com a diretoria do Corinthians e fez um pedido especial.

"Esses rumores de negociação, em nenhum momento fui eu que bati o pé para sair, porque estava insatisfeito no Corinthians ou porque estava na reserva. Nunca foi isso. A única coisa que fiz foi chegar na diretoria e falar que se caso eles fossem me emprestar, eu gostaria de voltar para o Sport. Onde minha filha nasceu, marquei lá um grande campeonato, clube, amigos, cidade. Mas em nenhum momento fiquei insatisfeito com o Corinthians", finalizou.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, às 11h, para enfrentar o Grêmio, na Arena, em Porto Alegre, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro. Se Cristóvão não optar por mexer na equipe, Marlone deve permanecer como opção no banco de reservas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos