Yago acredita nas escolhas do 'zen' Cristóvão por reação contra o Grêmio

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Yago mostrou confiança no técnico Cristóvão Borges

    Yago mostrou confiança no técnico Cristóvão Borges

Titular da melhor defesa do Campeonato Brasileiro até o momento, o zagueiro Yago planeja novos objetivos para o Corinthians neste fim de semana, quando a equipe visita o Grêmio em Porto Alegre, pela primeira rodada do segundo turno: além de tentar voltar à liderança, já que está somente dois pontos atrás do Palmeiras, o clube vai ao Sul para espantar um jejum de duas partidas sem vencer.

Para alcançar suas metas, Yago e os companheiros terão que superar os desfalques de Elias e provavelmente Fagner - enquanto o primeiro está suspenso pelo terceiro amarelo, o lateral foi punido pelo STJD, mas ainda cabe efeito suspensivo da suspensão por um jogo.

Caso os dois desfalques sejam confirmados, o Corinthians deverá ser escalado com Rodriguinho no meio-campo e Léo Príncipe na lateral direita. O restante da escalação segue o mesmo do empate em 1 a 1 com o Cruzeiro na segunda-feira, quando os jogadores saíram de campo vaiados em razão do terceiro jogo consecutivo sem vitória como mandante. Apesar de fazer ressalvas, Yago confia nos dois prováveis substitutos para o jogo na Arena do Grêmio.

"Sabemos a importância do Fagner, ele é líder, um dos nossos pilares dentro de campo e tem sido muito importante. Ainda cremos no recurso, mas com o Léo Príncipe é mais ou menos o mesmo perfil, só perdemos um pouco da liderança. Ganhamos a disposição de mostrar espaço e brigar pela vaga dele. No mesmo sentido do Fagner, mas pelo lado de liderança mesmo, porque é um jogador de Seleção Brasileira, o Elias também fará falta. É um jogo difícil, fora de casa, contra um concorrente direto, e o Elias seria muito importante. Acho que quem entrar vai dar conta do recado", relatou o zagueiro.

Na mesma entrevista em que elogiou as possíveis novidades do Corinthians diante do Grêmio, Yago foi questionado sobre o técnico Cristóvão Borges, que também foi vaiado e chamado de burro no último jogo da equipe - curiosamente, foi apenas sua décima partida pelo clube. Segundo o zagueiro titular, o estilo de trabalho e conduta do comandante com menos de dois meses de clube tende a dar resultado.

"Ele tem mantido a mesma linha do Tite e do Mano. As diferenças são que Tite é mais pilhado e o Cristóvão mais tranquilo, mais zen. São estilos diferentes, mas o esquema é o mesmo, o jeito de jogar também. Temos jogado da mesma forma se você for observar. Agora espero que a gente engate umas vitórias seguidas para se fixar lá em cima. (O Grêmio) Se trata de um concorrente direto, um time que tem o jeito de jogar parecido com o nosso. Estamos nos preparando para o pior", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos