Após eliminação, Barbosa desabafa: 'Erraram ao me tirar lá atrás'

A eliminação na fase de grupos da Seleção feminina de basquete nos Jogos Olímpicos pode também aproximar o fim de outro ciclo. Antônio Carlos Barbosa deixou em aberto a continuidade no cargo, que voltou a assumir em janeiro após a saída de Luiz Augusto Zanon no fim do ano passado.

Franco, o treinador da Seleção Brasileira analisou mais um fim de ciclo onde a equipe não consegue resultados expressivos. Além de não saber como será seu futuro no cargo, uma vez que a Confederação Brasileira de Basquete terá eleições neste ano, Barbosa crê que não deverá continuar. E fez um desabafo reflexivo:

- Acredito que não (permanência). Vim em uma situação emergencial. Só que desde o começo (quando saiu da Seleção em 2007) fui marginalizado. Foi uma burrice tirar um técnico que estava na Seleção há 22 anos, que era meu caso, e começar a trocar técnico igual a você troca de roupa. Após a minha saída rodaram cinco profissionais no cargo onde estive por 11 anos. Lógico que o resultado não vai vir. Acredito que meu papel agora seria melhor como supervisor, dando apoio a um treinador. E também chega uma hora que mesmo com boa saúde não dá mais - declarou o técnico, que não afirmou ter mágoa com o que aconteceu:

- Não tenho mágoa. Quem deve ter foi quem decidiu lá atrás pela minha saída.

Analisando o futuro da modalidade, Barbosa que o time que representou o Brasil nos Jogos terá uma boa base. No entanto, ele foi categórico ao afirmar que o basquete feminino precisa de investimentos e principalmente intercâmbio e maior experiência contra times mais fortes.

- Acho que essa equipe tem uma base para os próximos quatro anos. Tem a Damiris, a Clarrisa, Joyce. Mas precisa investir, fazer jogos contra equipes fortes, períodos de treinos. Fortificar o torneio nacional. Tem meninas que só atuam aqui dentro, então chega em uma competição do porte da Olimpíada sente falta de testes deste nível. Lá atrás, quando assumi, peguei a geração sem Paula e Hortência. Fizemos muitas excursões, torneios e um time que chegou desacreditado em Sydney ganhou o bronze. Só assim podemos conquistar resultados - finalizou.

Com quatro derrotas no Grupo A, o Brasil se despede da Rio-2016 neste sábado, às 15h30, na Arena da Juventude, em Deodoro, no duelo diante da Turquia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos