Inspiradas pelos times principais, Portugal e Alemanha se enfrentam por vaga nas semis

No papo informal sobre futebol, na mesa do botequim, ouve-se: "Portugal". Vem à mente a seleção campeã da Euro, na França, mês passado, derrotando os donos da casa na final. Surge a imagem de Cristiano Ronaldo liderando o time em campo e, aos berros, à beira dele, e depois erguendo a taça com a faca e o queijo na mão para ser de novo o melhor do mundo. A conversa prossegue, evolui e alguém diz: "Alemanha". Aparece, na imaginação, a poderosa seleção tetracampeã mundial no Brasil em 2014, com seu meio-campo formado por Schweinsteiger, Kroos, Khedira... E vem o filme do 7 a 1 passar à frente dos olhos pela enésima vez. Assim é na conversa de bar. E assim é também para os times olímpicos de Portugal e Alemanha, que se enfrentam neste sábado (13), no Mané Garrincha, em busca de uma vaga nas semifinais da Rio 2016 e de seguir os passos das seleções principais de seus países.

E se a ideia é repetir, as duas equipes parecem no caminho certo. A seleção portuguesa sub-23, a exemplo da principal, não chegou a apresentar um futebol encantador na Olimpíada, mas demonstra força coletiva. O suficiente para derrotar favoritos, assim como Cristiano Ronaldo e companhia. Logo na estreia no torneio olímpico, passou por cima da Argentina - duas vezes medalha de ouro nos últimos 12 anos - por 2 a 0. A Alemanha olímpica, por outro lado, não só repetiu como ampliou a marca da principal em um estádio: o Mineirão. Palco do 7 a 1, o estádio de Belo Horizonte viu os garotos alemães fazerem três gols a mais do que Müller, Klose, Kroos, Khedira e Schürrle, na goleada de 10 a 1 sobre Fiji, na última quarta-feira.

Mas quem olha para esse último resultado não percebe o quão claudicante foi a campanha alemã na primeira fase dos Jogos. Invicta? Sim. Mas com dois empates: contra México - atual campeão olímpico - e Coreia do Sul, que acabou no topo da chave. E o mesmo vale para Portugal: o empate contra a Argélia, na terceira partida, não dá conta da segurança com que os lusos passaram em primeiro lugar no Grupo D. Além da vitória sobre a Argentina, a equipe teve tranquilidade para derrotar também Honduras, de virada, no segundo jogo da fase.

Do mata-mata, porém, só sairá uma das duas seleções para enfrentar o vencedor do confronto entre Nigéria e Dinamarca nas semifinais. E para continuar seguindo os vitoriosos passos dos ídolos das seleções principais.

Ficha do jogo:

Portugal x Alemanha

Estádio Mané Garrincha, Brasília (DF)

Data e hora: 12/08/2016 às 13h.

PORTUGAL: Bruno Varela, Fernando Fonseca, Edgar Ié, Tobias Figueiredo, Esgaio; Tomás, Sérgio Oliveira, Bruno Fernandes e André Martins; Salvador Agra, Gonçalo Paciência. (T: Rui Jorge)

ALEMANHA: Horn; Klostermann, Suele; Toljan; Sven Bender, Meyer, Lars Bender, Brandt; Christianses, Gnabry, Patersen. (T: Horst Hrubesch)

Árbitro: Walter Lopez (GUA).

Assistentes: Leonel Leal (CRC) e Gerson Lopez (GUA).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos