A repercussão internacional da morte do 'revolucionário' João Havelange

O mundo do futebol acordou nesta terça-feira com a notícia da perda de um de seus principais personagens fora dos gramados. Aos 100 anos, João Havelange, ex-presidente da Fifa de 1974 e 1998 e antigo membro do Comitê Olímpico Internacional, faleceu após lutar contra uma pneumonia.

Como já era de se esperar, veículos de imprensa do mundo todo deram destaque à morte do dirigente. O site do francês "L'Equipe", por exemplo, usou seu espaço mais nobre para informar aos seus leitores.

O britânico "Daily Mail" chamou a atenção para a relevância de Havelange no quesito Copa do Mundo, uma vez que ele teria "ajudado a transformar o Mundial no maior evento esportivo do mundo". O "Sport", da Espanha, também fala de "revolução" no esporte.

Um dos principais jornais do mundo, o estadunidense "The New York Times", além de reportar o falecimento, recorda que o estádio Nilton Santos, do Botafogo, já teve o nome de João Havelange em homenagem.

Luto oficial na CBF

O site da Confederação Brasileira de Futebol, onde João Havelange também presidiu - quando ainda se chamava Confederação Brasileira de Desportos -, também homenageou o dirigente.

- A CBF lamenta a morte de João Havelange e registra a sua importância eterna para o esporte mundial - diz parte do comunicado.

Além de resumir a trajetória profissional de Havelange, a maior entidade nacional decretou luto oficial de sete dias, com bandeiras hasteadas a meio mastro. Também foi informado que, na próxima rodada dos campeonatos em andamento, será respeitado um minuto de silêncio antes de todas as partidas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos