Temer não irá à cerimônia de encerramento e japoneses reclamam

A Rio-2016 está com uma saia justa. A imprensa japonesa não se conforma com o fato de, restando cinco dias para o fim dos Jogos Olímpicos, o presidente interino Michel Temer ter decidido não ir à cerimônia de encerramento, quando pelo protocolo transmitiria para o primeiro ministro do Japão Shinzo Abe a passagem simbólica das Olimpíadas do Rio para Tóquio, a sede dos próximos Jogos, em 2020.

Sem Temer - que não estará no Maracanã por temer ser vaiado pelo público, pois a votação do impeachment de Dilma Rousseff está próximo - quem deverá ser o substituto é o presidente da câmara Rodrigo Maia, embora a Rio-2016 ainda não divulgue de forma oficial.

- Ainda não recebemos a confirmação oficial da presidência e quem ela avalia que poderá seguir o protocolo - disse Mário Andrada, da Rio-2016.

Mas Michel Temer deverá se encontrar com Shinzo Abe no Rio. O presidente interino pediu ao seu staff uma reunião com o japonês - e também com a prefeita de Tóquio, Yuriko Koike - para falar de negócios e fazer uma visita de cortesia. Mas bem longe dos olhos (e das vaias) dos torcedores.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos